No Dia Mundial da Reciclagem, Brasil tem pouco a comemorar

17/05/2021


Falta estímulo do setor público à reciclagem de

ferro e aço, afirma Inesfa


Hoje, comemora-se o Dia Mundial da Reciclagem. Mas o Brasil ainda tem pouco a comemorar na área de reciclagem de sucata de ferro e aço. Há falta de leis de estímulo à atividade econômica do comércio atacadista de materiais metálicos, embora as empresas de processamento do insumo reúnam mais de 5,6 mil empresas no país e colaborem para o sustento de um contingente de 1,5 milhão de pessoas, incluindo cerca de 800 mil catadores de materiais recicláveis cooperados ou independentes. Segundo estudo da consultoria GO Associados sobre o setor, encomendado pelo Instituto Nacional das Empresas de Preparação de Sucata Não Ferrosa e de Ferro e Aço (Inesfa), apesar da falta de apoio do setor público, o Brasil recicla em média 8,9 milhões de toneladas de sucata a cada ano, o que significa que neste período são economizados no país cerca de 9,9 milhões de toneladas de minério de ferro, 5,6 milhões de toneladas de carvão, 0,5 milhões de toneladas de calcário, 500 milhões de m³ de litros de água, evitando-se ainda a emissão de 15,5 bilhões de CO2, equivalentes a 24 mil toneladas/dia de resíduos que deixam de poluir a atmosfera. Além disso, a reciclagem faz com que toneladas de materiais não tenham como destino os aterros sanitários ou lixões, meta prioritária do Ministério do Meio Ambiente, no Programa Nacional Lixão Zero.


Mais informações: Letras & Fatos Comunicação Mauro Arbex - mauro.arbex@letrasefatos.com.br (11) 9 9519-7155 | (11) 3030-6673

Últimas Notícias