Grêmio dá ultimato e Tiago Nunes fica com cargo ameaçado

01/07/2021


Dirigentes falam abertamente em urgência de vitória para duelo de domingo, com Atlético-GO



Após a derrota do Grêmio nessa quarta, dia 30, para o Juventude, a crise se instalou no vestiário do Tricolor gaúcho. O time está no sexto jogo sem vitória e que lhe assegurou a lanterna do Brasileirão por mais uma rodada.


No vestiário do Alfredo Jaconi, após uma reunião de mais de uma hora, o técnico Tiago Nunes ganhou como prazo o próximo domingo, dia 4.


Na entrevista coletiva conjunta entre dirigentes e treinador, o vice de futebol Marcos Herrmann suscitou um "fato novo" para mudar o panorama de crise no clube.


Por sua vez, o presidente Romildo Bolzan, último a falar, esclareceu que qualquer coisa diferente de uma vitória, no domingo, contra o Atlético-GO, deve resultar na saída de Tiago.


Bolzan, Herrmann, o CEO Carlos Amodeo e o executivo Diego Cerri estiveram reunidos por uma hora no vestiário em Caxias do Sul. A urgência por resultado foi a tônica da conversa, corroborada pelo presidente logo depois, ao deixar claro que pode encerrar a passagem do treinador pelo Grêmio a qualquer momento. São 60 dias de trabalho e 15 jogos com Tiago Nunes no banco de reservas.


"Não tem mais espaço para derrota. Para vacilar. Para ficar esperando. Ou fazemos a mudança de uma atitude forte e ganhamos uma partida ou vamos começar de novo. Não tem como ser diferente", afirma Romildo Bolzan.


Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Últimas Notícias