Curitiba e Londrina trocam doses de vacinas para evitar suspensão de imunização

19/05/2021


Secretarias municipais dos municípios confirmam que troca foi realizada há cerca de dez dias com doses da Coronavac e da Astrazeneca



Com a possibilidade de faltar vacinas contra a Covid-19, principalmente da Coronavac, as prefeituras de Curitiba e Londrina trocaram vacinas há cerca de dez dias. As cidades fizeram isso para não interromper a campanha de imunização.


Na troca, doses da vacina da Astrazeneca foram encaminhadas para a capital do estado e frascos da Coronavac foram entregues em Londrina, foi confirmada pelo secretário municipal de Saúde de Londrina, Felippe Machado. Conforme Machado, a solicitação foi feita pela administração londrinense.


"Visando não haver interrupção no esquema de vacinação, haja visto o atraso no envio de vacinas por parte do Ministério da Saúde. De comum acordo, houve a troca de um quantitativo de vacinas entre os municípios", explicou.


A Prefeitura de Curitiba confirmou a troca de doses e disse que, à época, já tinha concluído o esquema vacinal do público que recebeu as doses da Coronavac.


Segundo a gestão da capital, as doses restantes eram insuficientes para iniciar a imunização em um outro grupo. Por isso, aceitou a permuta de 4.440 doses com Londrina.


A troca foi registrada e oficializada no Sistema de Informação de Insumos Estratégicos, do Ministério da Saúde, de acordo com a prefeitura.


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que os municípios têm autonomia para administrar a vacinação nas respectivas cidades, mas que não foi notificada oficialmente sobre essa ação pelas prefeituras das duas cidades.


A Sesa ainda esclareceu que essa prática, troca de vacinas contra a Covid-19 e de imunizantes que fazem parte da rotina de vacinação, não é comum.

Últimas Notícias