Mostra atravessa fronteiras ao unir artistas no Museu de Arte da UFPR

O desenho é o ponto de convergência na diversidade de produções dos 10 artistas que participam da exposição Desenho: a linha difusa, com abertura em 14 de novembro.

A mostra Desenho: a linha difusa, que abre no dia 14 de novembro, no Museu de Arte da UFPR – MUSA, reúne trabalhos de dez artistas brasileiros e estrangeiros. São eles: Alice Zundt (Londrina - PR), Christine Enrègle (Paris, França), Diego Ribeiro (Vitória - ES) Dulce Osinski (Curitiba - PR), Fernando Augusto (Vitória - ES), Gretchen Sherer (Nova York, EUA), José Antonio de Lima (Curitiba - PR), Hoda Kashiha (Teerã), Liliana Sanches (Vitória - ES), Marcelo Silveira (Recife - PE).

A exposição permanece em cartaz no MUSA até 01 de fevereiro de 2019 e, em seguida, viaja para Vitória, no Espírito Santo, onde poderá ser vista entre 19 de fevereiro e 20 de abril na Casa Porto das Artes Plásticas. “Desenho: a linha difusa é uma exposição pronta para viajar, tanto pelo espírito dos seus artistas, como também pela possibilidade de trânsito dos trabalhos que a compõem”, conta o curador Fernando Augusto S. Neto, que também participa da mostra como artista.

Dentre os artistas paranaenses presentes, Alice Zundt, de Londrina, desenvolve pequenas paisagens gráficas produzidas com infinitos pontos. “Quando contemplados, estes universos atômicos infinitos falam daquilo que mais aflige o homem contemporâneo: o tempo e o espaço”, diz o curador.

A pintora, desenhista e gravadora curitibana Dulce Osinski, constrói suas imagens pela gestualidade, pela materialidade e pela cor. “Professora e pensadora da arte, Dulce estende seu fazer artístico no ensino da gravura, tendo trazido para este campo inovações técnicas e teóricas, afirmando a gravura e o desenho como linguagens potentes e capazes de oferecer referências para outras áreas”, explica Fernando Augusto.

José Antonio de Lima, também de Curitiba, exibe uma escultura dentro de um cubo, produzida com tecido, madeira e cera. “[Suas esculturas são] leves, orgânicas, por vezes suspensas, em franco diálogo com a cultura japonesa. O artista estabelece uma intrigante relação entre desenho e escultura, passando de uma modalidade a outra sem estabelecer fronteiras”, escreve o curador no catálogo da exposição.

Cada um dos dez artistas exibe uma obra que dialoga com as demais pelo desenho ou pelo pensamento do desenho. No entanto, ao reunir trabalhos tão díspares, de diferentes partes do mundo, nesta exposição, Fernando Augusto buscou não a unidade, “mas talvez o choque, o risco, como num processo de montagem onde imagens díspares ou mesmo contrárias, ao serem justapostas, suscitam novas imagens, criam novas significações”.

O próprio Fernando Augusto exibe a obra “A Biblioteca do Artista”, um conjunto de desenhos-livros que vem realizando desde de 2006. Trata-se de uma obra composta de quase uma centena de catálogos de exposições de arte. “Esta foi a maneira que encontrei para guardar/conviver com catálogos que são produzidos, consultados, esquecidos em nosso universo de trabalho”, explica.

Serviço:

Exposição Desenho: A linha difusa

Local: MUSA – Museu de Arte da UFPR (Prédio Histórico da UFPR – R. XV de Novembro, 695, 1º andar – Curitiba, PR)

Data: De 14 de novembro de 2018 a 01 de fevereiro de 2019

Horário de visitação: De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

Telefone: (41) 3310-2603

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

27 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale