Gaeco investiga propina na emissão de alvarás | Destaques | Jornale | Curitiba

Gaeco investiga propina na emissão de alvarás

04/12/2019

Mandados de busca e apreensão foram executados ontem

 

 

Quatro mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta quarta-feira, 4 de dezembro, na segunda fase da Operação Al-Barã, que investiga o pagamento de propina para facilitação da tramitação de processos de alvarás e concessão de licenças pela Secretaria Municipal de Urbanismo de Curitiba, entre os anos de 2013 e 2016, quando o prefeito era Gustavo Fruet (PDT). O cumprimento dos mandados está sendo feito pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná.

 

Após a deflagração da primeira fase da Operação Al-Barã, em 2017, foi instituída uma comissão no município de Curitiba que identificou irregularidades em 70 dos 362 procedimentos de alvará e licença analisados. Segundo o que ficou evidenciado, a concessão das autorizações não atendeu formalidades legais da Secretaria Municipal de Urbanismo.

 

As investigações do Gaeco indicam que o intuito das concessões irregulares de documentos seria beneficiar uma empresa de construção. Também há indícios da prática dos crimes de lavagem de dinheiro e advocacia administrativa.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias Online de Curitiba

Siga Jornale