Após Wizard não comparecer, CPI da Pandemia adia depoimentos previstos para esta quinta

17/06/2021


Estava previsto para esta quinta os depoimentos do empresário Carlos Wizard, que não apareceu, e do auditor do TCU que produziu relatório falso


A CPI da Pandemia no Senado Federal decidiu adiar os depoimentos previstos na comissão para esta quinta-feira, dia 17. Segundo o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), a decisão foi motivada pela votação em plenário da medida provisória que possibilita a privatização da Eletrobras.


A votação da MP no Senado estava prevista para a tarde desta quarta, dia 16, mas foi adiada por falta de acordo.


A sessão em plenário deve ser aberta às 10h – e o regimento do Senado prevê que as comissões sejam limitadas quando o plenário está votando.


A pauta da CPI da Pandemia previa dois depoimentos: do empresário Carlos Wizard e do auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Silva Marques. Aziz pediu desculpas a Marques, que já estava no prédio do Senado – diferentemente de Wizard, que não apareceu.


"Nós não teríamos como [prever o adiamento], essa decisão foi tomada ontem à noite. Não estava marcada essa reunião às 10h e tenho certeza de que todos os senadores dessa CPI, individualmente, têm interesse em debater essa matéria tão importante", afirmou Aziz em referência à votação da MP da Eletrobras.


A nova data dos dois depoimentos ainda não foi agendada. Nesta sexta (18), a CPI deve se reunir para votar requerimentos de novas convocações.


Carlos Wizard


Antes de encerrar a reunião, Omar Aziz também anunciou providências sobre o não comparecimento do empresário Carlos Wizard. Ele é apontado como um dos integrantes do chamado "gabinete paralelo" que teria aconselhado o presidente Jair Bolsonaro a defender medidas ineficazes contra a pandemia.


"Oficiaremos a um juiz criminal para que requisite à autoridade policial a apresentação da testemunha faltosa, ou determinar que seja conduzido por oficial de justiça, o qual poderá solicitar o auxílio da força pública", declarou Aziz.


"Para além dessas medidas, diante da ausência do depoente, determino que seja oficiada à Justiça Federal para que o passaporte do seu Carlos Wizard seja imediatamente retido pela Polícia Federal tão logo ele ingresse em território nacional e somente seja devolvido após prestação de depoimento perante essa comissão de inquérito", prosseguiu.


Fale com o Jornale, acesse: https://www.jornale.com.br/contato


Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado







Últimas Notícias