Marquês de Queensberry, as regras modernas do jogo


O boxe como conhecemos hoje são um aperfeiçoamento das regras assinadas pelo marquês de Queensberry. O ringue em que acontece os confrontos é um quadrilátero de 4,90 metros, no mínimo, e 6,10 metros, no máximo. Deve estar cercado por três fileiras de cordas de três centímetros de diâmetro, enroladas em pano. As luvas pesam 228 gramas, para os amadores de todas as categorias; 114 gramas, para os profissionais de peso-mosca até peso-leve; e 171 ou 228 gramas para os demais profissionais. Os lutadores usam ataduras (bandagens) envolvendo as mãos, para proteger os punhos de possíveis lesões, com a medida de no máximo três metros de comprimento por quatro centímetros de largura.

Já as divisões por categorias foram oficializadas em 1904, durante os Jogos Olímpicos de Saint Louis, nos Estados Unidos. Em 1920, surgiu a categoria meio-médio-ligeiro e em 1952 foi feita a limitação que persistia até pouco tempo atrás.

Em que,

Amadores são: mosca (até 51kg), galo (até 54kg), pena (até 57kg), leve (até 60kg), meio-médio-ligeiro (até 63,5kg), meio-médio (até 67kg), médio-ligeiro (até 70kg), médio (até 75kg), meio-pesado (até 80kg) e pesado (acima de 80kg);

Profissionais são: mosca (50,152 kg), galo (53,524kg), pena (57,152kg), leve (61,237kg), meio-médio-ligeiro (63,500kg), meio-médio (66,678kg), médio-ligeiro (69,853kg), médio (72,574kg), meio-pesado (79,378kg) e pesado (acima de 79,378kg).

No boxe, amador e profissional,

Os amadores podem ser estreantes, ou seja, os que combatem pela primeira vez, e os novos, que não tenham realizado mais de dez lutas e os veteranos com mais de dez lutas, possuidores de licenças com mais de dois anos ou campeões de novos.

Os profissionais se dividem em estreantes, não podendo participar de luta com mais de seis assaltos, os semifundistas que devem ter pelo menos três lutas de seis rounds e os fundistas que devem ter feito pelo menos três lutas de oito rounds como semifundistas.

Os Combates,

Os combates entre amadores poderão durar seis rounds de dois minutos ou quatro de três minutos por um de descanso. Os profissionais combaterão de 4 a 15 rounds de três minutos por um de descanso. As lutas de 12 a 15 rounds serão reservadas para os combates onde títulos internacionais estiverem em jogo.

As decisões de vitória,

Os lutadores podem ter uma das seguintes decisões: vitória por nocaute, em que o árbitro contará dez segundos a partir do momento em que constatar que um lutador está caído no chão por força de golpe bem executado, ou a vitória por pontos, ou empate e também por vitória por nocaute técnico, em que o técnico principal jogará a toalha ou a esponja no ringue ou o árbitro constatará uma lesão que impeça o lutador de prosseguir. A vitória por desclassificação, é por três faltas, aplicação de golpe proibido, simulação de recebimento de golpe, falta de combatividade, ou falta grave dos segundos. Existe também a vitória por abandono. A luta sem decisão – no contest – acontecerá quando o árbitro a suspender por falta de combatividade dos dois pugilistas, estado precário do tablado ou alguma intervenção externa e irregular, como uma reação incontrolável do público.

Necessidades para um combate,

As decisões serão tomadas por um árbitro e dois jurados, já no Brasil são três jurados porque o árbitro não vota. A decisão por um árbitro apenas é uma exceção e só é adotada com autorização prévia dos combatentes. Além dos jurados e do árbitro, atuam numa luta um diretor de espetáculos, um fiscal de combate, um cronometrista, um anunciador e um médico de plantão. A marcação dos pontos pelos jurados quando trata de obedecer às regras são: cinco pontos em cada round para o melhor ataque; cinco pontos para bloqueios, esquivas e deslocações do corpo para evitar golpes; cinco pontos para o melhor estilo empregado na aplicação dos golpes, na limpeza e técnica utilizadas, cuja defesa se torne harmônica com o ataque; e cinco pontos para o que demonstre maior eficácia dos golpes que produzem efeitos para sua correta aplicação e poder.

Perder pontos,

Os pugilistas perderão pontos toda vez que cometerem uma das seguintes faltas: bater abaixo da cintura; simular ter sido atingido abaixo da cintura ou na nuca; apoiar-se no adversário ou empurra-lo para trás; empurrar com a mão aberta a cabeça do adversário para trás e bater com a outra mão; segurar com uma das mãos as cordas do ringue; entrincheirar-se por trás das luvas evitando o combate; bater num adversário caído ou que esteja levantando-se; travar os braços do adversário; empurrar no corpo-a-corpo com uma das mãos e golpear com a outra; provocar deliberadamente um corpo-a-corpo; prender o braço do adversário com uma das mãos e golpear com a outra; dar cabeçada, joelhada ou golpear com os ombros; bater com a parte da luva que cobre a palma das mãos ou com pulsos e cotovelos; sacudir o adversário contra as cordas; lutar agachado; atirar-se ao chão sem ter sido golpeado; bater na nuca ou nas costas do adversário; golpear girando sobre o próprio corpo; golpear simultaneamente com ambas as mãos nas orelhas do adversário; e desacatar o árbitro, autoridade máxima dentro do ringue. (Fonte - travinha.com.br)


20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest