STJ decide que policial ré por morte de copeira será julgada por homicídio | Destaques | Jornale | Curitiba

STJ decide que policial ré por morte de copeira será julgada por homicídio

29/11/2019

Crime ocorreu em 23 de dezembro de 2016, em Curitiba

 

 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, na quinta-feira (28), que a policial civil Kátia das Graças Belo, ré pela morte da copeira Rosaira Miranda da Silva, deve ser julgada por homicídio triplamente qualificado.

 

A copeira morreu ao ser baleada em uma confraternização do trabalho, nos fundos de um lava a jato, em Curitiba, em dezembro de 2016. Segundo a denúncia, a policial se irritou com o barulho da festa e atirou contra o estabelecimento vizinho.

 

Em julho de 2017, a Justiça decidiu que a policial iria a júri popular pelo crime de homicídio simples, com pena que varia de 6 a 20 anos de prisão.

 

Com a decisão do STJ de incluir as qualificadoras de motivo fútil, perigo comum e impossibilidade de defesa da vítima, a pena de Kátia pode ser de 12 a 30 anos de prisão, caso seja condenada.

 

Kátia das Graças Belo responde ao processo em liberdade. Ela está trabalhando no setor administrativo da Polícia Civil.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias Online de Curitiba

Siga Jornale