Cidades que usaram novo método pedagógico crescem no Ideb e Saeb | Notícias | Curitiba | Jornale

Cidades que usaram novo método pedagógico crescem no Ideb e Saeb

23/10/2018

Utilização da coleção Aprendizagem em Ação melhorou notas nos índices das cidades de Morrinhos(GO) e Benevides (PA)

Os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e para o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), referentes a 2017, apresentados recentemente pelo Ministério da Educação (MEC), mostram que os avanços no desempenho das escolas são produtos de um conjunto de ações diferentes, com cada rede ou unidade escolar fazendo o esforço à sua maneira.
Entre outras práticas nas políticas pedagógicas, estão na lista, envolvimento da família na escola, capacitação e formação continuada de professores e servidores, avaliações periódicas, implantação de escolas de tempo integral e adoção de novos materiais pedagógicos. Foi justamente este último quesito que contribuiu para melhorar o desempenho das redes municipais das cidades de Benevides, no Pará, e Morrinhos, em Goiás. Elas apresentaram um crescimento muita acima da média do país e também de seus Estados, e para isso pesaram muito as notas em Matemática.
Os melhores resultados das duas cidades, no que se refere à avaliação da proficiência em Matemática, têm em comum o fato de usarem o mesmo material pedagógico. Trata-se do método Aprendizagem em Ação, que está se tornando uma referência nacional em sistemas de avaliação pedagógica que utiliza cartilhas com exercícios práticos de Matemática. 
Os cadernos de estudos são elaborados com exercícios que trazem um novo sistema de organização de itens para as respostas, que reconhece o raciocínio desenvolvido pelo aluno para chegar à resposta dada, mesmo quando ele apresenta uma solução que não é a mais correta, conforme explica a professora Fabiana Ubriaco, mestra em educação e criadora do método.
Ela lembra que o Aprendizagem em Ação foi utilizado pela primeira vez em Ipojuca (BA). Naquela cidade, os índices eram baixos e as adversidades muitas. Entre 2011 e 2015, com a utilização do método, o Ideb das séries iniciais saltou de 3,5 para 4,8, alçando a meta estabelecida para 2019, e superando em muito a meta daquele ano, de 2015, que era de 4,2. A não continuidade no uso da metodologia nos anos de 2016/2017 já gerou um recuo, e um resultado negativo. Em 2017 o Ideb de Ipojuca para os anos iniciais caiu para 4,5.

Morrinhos já superou meta do Ibeb para 2021

A cidade de Morrinhos, no Estado de Goiás, é um superdestaque nacional, nos anos iniciais do ensino fundamental. Com a utilização do método, sua média subiu de 5,5, em 2015, para 6,7 - um crescimento de 22% - superou a média estadual, de 6,1% (Goiás), e a nacional, de 5,8. Super-Destaque Nacional é uma nota acima de 6 e Destaque Nacional, nota acima de 5. O processo de aprendizagem na cidade está tão avançado que a nota para 2017 já superou em muito a meta para 2021, que é de 6,2.
No caso dos anos finais do ensino fundamental, Morrinhos também teve um salto surpreendente, embora estivesse em um nível inferior em relação aos seus anos iniciais. O ensino municipal, nesta etapa, pulou de 3,9 para 5,5 (crescimento de 41%), configurando como Destaque Nacional e superando a meta prevista para 2019.

Com pouco mais de 60 mil habitantes, a cidade de Benevides, no norte do Pará, viveu uma revolução da rede municipal de ensino. O município se consolidou como um Super-Destaque Nacional (nota 6,2) nos anos iniciais, também superando a meta nacional e a média estadual, que no Estado do Pará, foi de 4,7. Nos anos finais a cidade também alcançou Destaque, embora não tenha um índice de crescimento, porque se trata da primeira vez em que a nota é dada para esta etapa em Benevides.
A professora Leila Freire, secretária municipal de educação de Benevides, explica que a conquista do alto desempenho no Ibed é resultado de um conjunto de ações, que foi batizado de Programa Benevides à Escola, uma alusão ao cumprimento Bem-vindo à Escola. Segundo ela, elaboradas três grandes metas nas áreas Governança, Gestão Pedagógica e Direito a aprender. A primeira delas foi organizar o sistema de ensino do município, a segunda, melhorar a aprendizagem e a terceira, toda criança lendo e escrevendo até 7 anos de idade.
A secretária Leila Freire explica que dentre essas medidas o Aprendizagem em Ação foi indicado como material pedagógico. "Foi um dos pontos mais altos do sucesso de nossos resultados. Crescemos 30 pontos na proficiência em Matemática", conta a professora. Segundo a secretária, o material inaugurou um novo jeito de trabalhar a Matemática de forma mais lúdica, sob forma de oficinas. "Esse material é muito bem elaborado. Investe em uma pedagogia inovadora. Veio ao encontro do nosso currículo", ressaltou.
Exercícios focam em habilidades básicas
Coube à professora Fabiana Esméria de Castro Alves Ubriaco, mestra em Educação e especialista em Psicopedagogia, responder ao desejo do Conselho Editorial da Sertões Editora, para a produção de livros que representassem um avanço no processo pedagógico. O material também deixou os alunos para um sistema de avaliação diferente na forma de estruturação dos itens. A autora é reconhecida pela capacidade de transformar conteúdos em materiais didáticos de Matemática, e também como uma grande conhecedora e criadora de instrumentos para avaliação de desempenho pedagógico.
"A ideia surgiu de uma realidade que nós, professores da rede pública conhecemos bem, que é a enorme dificuldade de aprendizado das habilidades básicas", conta ela. "E isso os impede de ter sucesso, não só nas avaliações da Prova-Brasil, mas também na vida deles, na construção do futuro de cada um. Por isso pensamos a coleção, para ajudar no avançar da vida escolar", explica.
Como ponto de partida de sua proposta, Fabiana Ubriaco considerou fundamental que o material levasse o aluno à prática com exercícios dirigidos. "Se o aluno faz, ele aprende", é a frase slogan que ela criou e que representa a ideia central da coleção "Aprendizagem em Ação- Oficina da Matemática". "A coleção, afirma Fabiana, visa abrir novos caminhos para o desenvolvimento cognitivo e criar, gradativamente, o melhor ambiente para a construção sólida das habilidades essenciais em cada etapa de ensino", finaliza.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

ALEP_MASCARAS-COVID-19_BANNER_motivo01_3
Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest