Jogador do Rio Branco que ofereceu suborno a colegas é banido | Jornale

Jogador do Rio Branco que ofereceu suborno a colegas é banido

05/10/2018

STJD decidiu eliminar do futebol lateral do time de Paranaguá

A tentativa frustrada de manipular o resultado de uma partida do Campeonato Paranaense de 2018 acabou com a carreira do lateral-esquerdo Thiago Almeida Vieira, o Thiaguinho, de 28 anos. O Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) decidiu nesta sexta-feira por unanimidade banir o jogador do futebol. Ele até poderia recorrer ao Tribunal Arbitral do Esporte, na Suíça, mas não tem dinheiro para isso. 
Levar um caso ao TAS custa em média 50 mil francos suícos, cerca de R$ 200 mil. Thiaguinho nem sequer teve os recursos para comparecer à sessão final nesta sexta-feira. O próprio advogado Fábio Carzino indicou no julgamento, quando lembrado da possibilidade de revisão da pena em dois anos, que será complicado para o jogador retomar a carreira - decisão que, no entanto, reforçou não estar tomada pelo atleta.
Thiaguinho disputou o Campeonato Paranense pelo Rio Branco, de Paranaguá, que fez uma campanha surpreendente no primeiro turno, quando chegou à final, contra o Coritiba, e decepcionante no segundo. O clube acabou livre de punições, o que também foi votado por unanimidade sob o argumento de que denunciou a tentativa de fraude. 
Logo após o fim da sessão, Fabio Carzino reconheceu que Thiaguinho não terá como recorrer na Suíça, mas lembrou que é possível tentar reverter a medida no futuro buscando a reabilitação do atleta. Além de ter sido banido do futebol, Thiaguinho foi condenado a pagar uma multa de R$ 10 mil. 
O lateral estava lesionado e não participou da última partida do Rio Branco no campeonato, em 21 de março, contra o Londrina, fora de casa. Mesmo sem ter entrado em campo, Thiaguinho teve papel determinante no destino do time de Paranaguá.
Horas antes do jogo, Thiaguinho telefonou para dois de seus companheiros de time – primeiro falou com o atacante Rodrigo Jesus, depois com o goleiro Flaysmar, que dividiam um quarto na concentração.
De Recife, sua cidade natal, onde estava, o lateral fez uma proposta indecente: R$ 5 mil para cada um, em troca de entregarem o jogo para o Londrina. Os dois jogadores reagiram com indignação. Rodrigo Jesus respondeu: "Eu não faço isso. Nem por R$ 1 millhão".
O telefone então foi passado a Flaysmar, que rebateu no mesmo tom: "Eu jamais faria isso".
A resposta dura e imediata de Flaysmar e Rodrigo Jesus interrompeu o plano – que consistia em cooptar quatro jogadores do Rio Branco. Como a conversa foi interrompida no início, não foi possível saber o que se esperava dos atletas – não correr, se fazer expulsar, cometer pênaltis.
O Rio Branco foi derrotado pelo Londrina por 4 a 1. O acordo não foi fechado, mas a história correu. Não demorou a chegar aos ouvidos da comissão técnica e da diretoria do Rio Branco. Thiaguinho então tentou resolver o problema: criou um grupo de whatsapp com dirigentes do clube e contou a eles sua versão da história.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias Online de Curitiba

Siga Jornale