Artesão dá novo uso às madeiras descartadas pela natureza | Notícias | Curitiba | Jornale

Artesão dá novo uso às madeiras descartadas pela natureza

07/09/2018

Em seu sítio em Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais, Luiz Vieira transforma restos de madeira em peças de design repletas de história

Na contemporaneidade, prezar pela natureza se tornou uma prioridade, pensada desde às pequenas atitudes que fazem a diferença durante o dia-a-dia até as escolhas do morar. Para Luiz Vieira, esse cuidado sempre foi nato. Inquieto, curioso, inventivo e com muita personalidade, o mineiro, dentista há mais de 40 anos, tem a natureza como sua grande paixão. "Costumo dizer que como dentista, esculpia dentes. Hoje, passei a esculpir madeira", explica seu ofício. É que além de atender em seu consultório, Luiz recupera árvores caídas na zona rural de Poços de Caldas e, como artesão, dá à elas um novo sentido.

O estímulo para o início de sua jornada garimpando, cortando, moldando e polindo veio de uma visita ao Museu Inhotim, em Brumadinho, MG, referência por seu acervo de arte contemporânea. O respeito à natureza e às questões ambientais motivaram a execução de peças elaboradas com madeiras nobres, em seu estado bruto, inspiradas pela sensibilidade da arte.

Posteriormente, a atividade, a princípio de lazer, serviu de ponto de partida para a criação da marca Corte da Terra. "Muitas pessoas fazem terapia. No meu caso, eu faço gameloterapia", brinca Luiz. Em seu sítio, ele valoriza as características únicas de cada espécie, da aromática sassafrás às coloridas moreira e maçaranduba. "Antes de começar a esculpir a obra, devoto toda minha atenção para compreender os veios e a história que a madeira traz. Essa análise é primordial para indicar a direção do trabalho que vou realizar", afirma o artista.

Além disso, como sua matéria-prima deriva de resíduos florestais, em suas peças o artesão faz referência às marcas de agentes naturais, aos efeitos do tempo e até mesmo à ação humana na natureza, imprimindo história em cada uma de suas peças. "Certa vez, estava produzindo uma peça curva que, dependendo do lado escolhido, se tornava duas gamelas. E a peça furou! Achei que ia perdê-la. Quebrando a cabeça sobre o que fazer, resolvi trabalhar esse furo. Nesse centro, acabei desenhando um coração", explica, sobre os detalhes inventivos que enaltecem a matéria-prima. Assim, a madeira que antes seria esquecida ganha nova forma e, com a Corte da Terra, um novo lar.
Corte da Terra  - www.cortedaterra.com.br

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

ALEP_MASCARAS-COVID-19_BANNER_motivo01_3
Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest