Vacinação contra sarampo é prorrogada até dia 14 | Notícias | Curitiba | Jornale

Vacinação contra sarampo é prorrogada até dia 14

03/09/2018

Maior parte das cidades não atingiu à meta

 

 

A Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo e poliomielite foi prorrogada até o dia 14 de setembro. Até lá, 110 unidades básicas de saúde em Curitiba permanecem vacinando, de segunda à sexta-feira, crianças de 12 meses a 5 anos incompletos de forma indiscriminada, ou seja, mesmo aquelas que estão com o esquema vacinal completo.
Para saber o horário de funcionamentos nas unidades é só acessar este link. É preciso apresentar um documento de identificação e é recomendável levar a carteira de vacinação. 
Esta estratégia do Ministério da Saúde de vacinar de forma indiscriminada está sendo adotada por conta da situação epidemiológica que vive o país, com surtos de sarampo, em Roraima e no Amazonas, além de casos isolados em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Pernambuco e Pará.
De acordo com o Ministério da Saúde, ainda, 312 municípios brasileiros estão com cobertura abaixo de 50% para a poliomielite.
A campanha nacional de vacinação começou em 6 de agosto e se encerraria no último sábado (1º/9), quando foi realizado o segundo dia D, com a aplicação de mais de 3 mil doses em único dia na capital paranaense. Em Curitiba, as coberturas das vacinas tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) e da poliomielite são altas –  96% e 93% em 2018, respectivamente.
O município, porém, ainda não atingiu a meta de 95% de cobertura especificamente durante a campanha. A capital tem 87.552 crianças na faixa etária de 1 ano a menores de 5 anos, público-alvo da ação. Destas, até o último sábado (1º/9), 84,1% (73.602) foram vacinadas durante a campanha contra poliomielite e 78,3% (68.546) contra sarampo.
Em todo o país, entre as capitais, apenas Porto Velho, Macapá, Recife e Vitória alcançaram a meta de 95% na campanha. Ao todo, 1.904 municípios ainda não atingiram o percentual buscado pelo Ministério da Saúde.
De acordo com especialistas, uma pequena parcela de crianças não desenvolve a imunidade, mesmo após as doses regulares do esquema vacinal. No caso do sarampo, estima-se que isso gire em torno de 2% a 5%.
“Em um momento de surto no país, esse percentual pode atingir muitas crianças. Por isso, é importante, mantermos a nossa cobertura alta, para que a nossa população fique mais protegida. A estratégia de vacinação indiscriminada do Ministério da Saúde neste momento epidemiológico do país é importante”, explica o diretor do Centro de Epidemiologia da secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Alcides Oliveira.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest