Como peões políticos, Joe Louis e Max Schmeling lutaram em 1938 | Notícias | Curitiba | Jornale

Como peões políticos, Joe Louis e Max Schmeling lutaram em 1938

22/06/2018

Eles se tornaram personificações do Bem e do Mal em 22 de junho de 1938. Joe Louis se vingou de sua derrota do grande Max Schmeling no que foi chamado de "undercard para a Segunda Guerra Mundial"

O segundo encontro entre os boxeadores foi em 1938, o campeão peso-pesado Joe Louis e o alemão Max Schmeling - o homem que entregou a Joe sua primeira (e única derrota) - representou muito mais do que simplesmente uma oportunidade de vingança para Louis.

A crescente percepção do regime ameaçador de Hitler com o nazismo significou que até mesmo o tema do “negro versus branco” se tornou secundário às ideologias opostas da democracia e do totalitarismo.

Como peões políticos, Louis e Schmeling se tornaram personificações do Bem e do Mal.

"Estamos todos dependendo desses músculos para a América", disse o presidente Roosevelt a Joe. Hitler, por sua vez, telegrafou a Schmeling desejando-lhe todo o sucesso.

Parte do relatório de luta dizia: “Uma luta marcada para ter 15 rodadas, mas essa luta pelo título acabou em dois minutos e quatro segundos, o fim veio quando Arthur Donovan, o árbitro, atirou a toalha e parou a luta em favor do campeão. Com um nocaute técnico de Joe em Schmeling.

Louis foi o primeiro a se soltar após um total de 10 segundos da luta. Joe jogou em seu adversário três esquerdas rápidas para a mandíbula, entrou novamente com a esquerda e enviou um cruzado de direita para a mandíbula.

O alemão sofreu um golpe, um longo e forte cruzado de direita, do qual o campeão se afastou para dar um leve golpe no queixo, mas logo em seguida Louis entrou para marcar com dois socos duros, para a esquerda e para a direita.

Schmeling não teve chance de revidar contra seu oponente ferozmente ferido, que novamente bateu na esquerda e na direita, o que levou o alemão às cordas.

Schmeling foi para o chão, levantou-se em 'dois', foi derrubado novamente e depois subiu antes da contagem ser iniciada.

Então veio o soco vencedor - um ótimo gancho de direita para o corpo que mandou Schmeling para a derrota. Louis retirou-se para um canto neutro, enquanto o árbitro, Arthur Donovan, assumiu a contagem do cronometrista George Bannon. A contagem alcançou "oito" quando Max Machon jogou uma toalha do canto do alemão, terminando a luta."

Graças a Joe Louis "o undercard para a Segunda Guerra Mundial", como esta luta foi mais tarde descrita, entregou uma enorme derrota simbólica ao nazismo.

Cinquenta anos depois, o mundo aprendeu como Schmeling arriscou sua vida escondendo crianças judias em seu apartamento em Berlim durante a guerra.

Joe Louis venceu a luta e teve uma carreira brilhante ficando indiscutivelmente na história do boxe, e Max Schmeling enfrentou Hitler, salvando vidas como pode, é um campeão que deixou seu legado para o mundo do boxe e para a humanidade.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest