Bozella, uma injustiça que encontrou a glória de ser campeão | Jornale

Bozella, uma injustiça que encontrou a glória de ser campeão

16/03/2018

No boxe encontrou a disciplina para a ansiedade e angústia, Bozella – da injustiça para a glória

Uma análise de uma carreira de boxe que terminou com um recorde de 1-0 pode ser percebida como um reflexo de uma história que mal começou, mas no caso de Dewey Bozella, essa vitória foi o culminar de um retorno de uma vida que permanecia encarcerada em uma prisão.

Bozella foi condenado em 1977 pelo homicídio de Emma Crapser, de 92 anos, em Poughkeepsie, Nova York, e foi condenado a 20 anos de prisão.

Depois de ficar preso por 26 anos, depois de várias tentativas de reexaminar seu caso, Bozella com a ajuda de Wilmer Hale, conseguiu obter a evidência que provou sua inocência. Ele foi inocentado e solto em outubro de 2009.

Enquanto na prisão, Bozella lutava regularmente e era o campeão dos pesos pesados ​​da prisão. Ao ser liberado, aos 52 anos, ele começou sua busca para lutar profissionalmente.

Depois de passar por vários contratempos na tentativa de obter sua licença, Bozella permaneceu determinado, uma característica que guiou sua tentativa de provar sua inocência e tornar-se um homem livre mais uma vez.

Ele finalmente obteve sua licença e lutou sua primeira e única luta profissional, derrotando Larry Hopkins, em 15 de outubro de 2011.

Hoje ele administra a Fundação Dewey Bozella, que oferece oportunidades de orientação e treinamento de boxe para jovens em risco.

Assista ao documentário abaixo

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias Online de Curitiba

Siga Jornale