Delegado Silvan é condenado a 9 anos de prisão por tortura | Notícias do Brasil e do Mundo Hoje | Curitiba | Jornale

Delegado Silvan é condenado a 9 anos de prisão por tortura

16/02/2018

Policial foi denunciado por torturar suspeitos no Caso Tayná

 

 

O delegado Silvan Rodney Pereira e mais dois investigadores da Polícia Civil foram condenados por torturar os quatro suspeitos de estuprar e matar a adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, em junho de 2013. A decisão é do juiz Hermes da Fonseca Neto, da 1ª Vara de Colombo

Silvan foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão. Neste mesmo processo, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou 16 pessoas: 14 policiais civis, um policial militar e um ex-PM. Os demais denunciados não foram condenados pela Justiça.

Responsável pela delegacia do Alto Maracanã na época do crime, Silvan foi o primeiro a investigar o assassinato da adolescente Tayná.

Quatro suspeitos, que trabalhavam em um parque de diversão próximo ao local do crime, chegaram a ser presos durante as investigações. Após suspeitas de tortura por parte de policiais, que teriam provocado a confissão do homicídio, eles foram soltos e permanecem até hoje em um programa de proteção a testemunhas.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest