Hand Poke oferece processos com uma ligação intimista | Notícias | Curitiba | Jornale

Hand Poke oferece processos com uma ligação intimista

15/01/2018

Ponto por ponto na construção de energia corporal

 

Sarah March confia em uma técnica de tatuagem não convencional para criar arte corporal impressionantes. A Chamada Hand Poke, é um método não-elétrico - que foi usado originalmente por tribos antigas e prisioneiros - envolve a inserção de tinta na pele através de uma única agulha. Para construir a linha e aplicar sombreamento, March usa um efeito “stipple” para seus projetos monocromáticos.

Muitas das tatuagens de Sarah descrevem padrões que não possuem contornos definitivos. Em uma entrevista ela explica: "Cada ponto é parte integrante da arte." Por isso, ela gosta de mandalas e outros assuntos que apresentam motivos geométricos.

A meticulosidade deste método comunica muito mais do que apenas uma vontade de suportar a dor: também destaca o relacionamento íntimo entre o artista e o cliente, pois essas peças são feitas à velocidade da mão humana. É um aspecto que se perdeu com as modernas máquinas de tatuagem, e algo que Sarah está ajudando a trazer de volta.

Este é o perfil de Sarah no instagram CLICK AQUI 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias Online de Curitiba

Siga Jornale