De La Hoya queria um sparring mais fraco | Notícias | Curitiba | Jornale

De La Hoya queria um sparring mais fraco

29/12/2017

Um vídeo de uma sessão de sparring onde Edwin Valero supostamente nocauteou Óscar de la Hoya durante a preparação do Golden Boy para sua luta em dezembro de 2008 com Manny Pacquiao. Isto é o que Duglexer González lembra, "Musampa", pessoa perto e responsável pela segurança do "Inca" em declarações ao jornalista Alexis Rosas, autor do livro The Last Fight. Segundo Musampa, Valero "se vangloriava daquela gravação e tinha entre os seus bens mais importantes de sua vida".

Edwin Valero, que já tinha 24 vitórias com 24 nocaute, já havia conquistado o campeonato mundial da WBA, um título que ele renunciou em setembro de 2008 para subir de peso, onde também seria coroado campeão mundial. Naquela época, o venezuelano era uma atração de transmissões pela internet, onde milhares de fãs se aglomeraram em seus computadores para ver o registro perfeito do boxeador que havia eliminado os 18 primeiros rivais. E ele era visto on-line porque raramente tinha o a licença para lutar nos Estados Unidos, porque em 2004, em um exame médico, foi encontrado lesões cerebrais resultantes de um acidente de moto três anos antes.

Mas, além da brutalidade no ringue, que era de domínio público, Valero também estava construindo uma lenda nos círculos mais íntimos do boxe: os dos ginásios. E é isso, embora Valero seja questionado sobre a qualidade dos rivais que enfrentou, não há dúvida de que, em sparring, enfrentou lutadores lendários como Óscar de la Hoya ou Erik "Terrible" Morales, a quem ele deu trabalho. Além disso, essa lenda foi baseada nas gravações das sessões de sparring que circularam na internet desde que Valero começou a decolar em sua carreira. As múltiplas sessões que ele realizou com Urbano Antillón ainda são um objeto de adoração na rede, especialmente aquela em que o venezuelano agita a cabeça de Antillón, que está prestes a ir à lona.

 

Edwin Valero contra Terrible Morales

 E das lendárias sessões de sparring, a história mais contada é precisamente a do suposto nocaute de Óscar de la Hoya em 2007. Esta versão foi aprovada por vários membros do ambiente de Valero. Além da versão do Duglexer González, há também o de Francisco Rojas, assistente do venezuelano em assuntos publicitários, que diz para o livro The Last Fight, “ele foi intenso nesses treinos e nocauteou De La Hoya, para mostrar que ele era um bom lutador e porque precisava ser conhecido nos Estados Unidos". O suposto nocaute de De La Hoya também foi confirmado por Diógenes Carrillo, comentarista venezuelano de boxe e amigo pessoal de Valero, no mesmo livro, onde Carrillo lembra que "nas sessões de treinamento, Valero deu espancamentos reais ema De la Hoya e Ele até mesmo o nocauteou em uma ocasião, então ele decidiu dispensar seus serviços, pagou-o e tirou-o do treinamento.

 

Na verdade, Óscar de la Hoya apareceu em um dia na mídia naquela preparação com uma contusão no olho direito. Do lado do Golden Boy, ninguém se atreveu a confirmar o nocaute, mas eles aceitam que Valero foi violento e teve que ser demitido. Ignacio Beristáin, o treinador mexicano que preparou o Golden Boy para a luta com Pacquiao, confirma que Edwin Valero foi o sparring que puniu o Oscar e que lhe feriu os olhos, embora ele esclarece que foi um golpe tardio. Beristáin não detalha que o venezuelano o derrubou, como dizem os íntimos de Velero. No final, depois desse incidente, foi o próprio Beristain que ordenou que Valero fosse demitido como parceiro de sparring.

 

"Sim, ele jogou um golpe depois que o tempo acabou", lembra Beristáin em uma entrevista com Gabriel Montoya de Max Boxing em 2011. "No dia seguinte, eu corri, e é por isso que (Valero) não podia me suportar. Eu vi, ele não disse olá, o irmão de Oscar disse: "(Valero) Ele não sai." Eu disse: "Sim, ele vai embora, ele vai embora agora". Então Joel foi reclamar para Oscar e Óscar disse a Joel "Você precisa obedecer, se Don Nacho diz que ele sai, ele sai".

 

Embora, em particular, Edwin Valero assegurou a seus parentes que ele derrubou Oscar de la Hoya, em público ele se moderou e foi atribuído que foi ele só machucou os olhos de Óscar no sparring, e não Víctor Ortiz, como também foi especulado.

 

"Eu fui o único que deixou o olho roxo de Oscar", disse Valero ao jornal filipino Phillipine Daily Inquirer em 6 de dezembro de 2008, horas antes da luta de De la Hoya-Pacquiao. "É por isso que eles me expulsaram de Big Bear, eu só fiz oito rodadas de sparring com o Oscar, porque depois dessas oito rodadas, Oscar não queria mais trabalhar comigo, eu o machuquei muito". Foi também nessa afirmação que Edwin Valero lançou sua famosa previsão sobre o resultado da luta entre Pacquiao e De la Hoya: "Oscar não gosta de treinar, Oscar não gosta de correr, Pacquiao vai derrotar Oscar".

 

E horas após a luta entre Pacquiao e De la Hoya, quando o prognóstico de Valero foi confirmado, desde que Pacquiao devastou o Golden Boy, o World Boxing voltou a entrevistar Valero. "Minha previsão foi pública ontem, não apareceu hoje, disse-lhe Doug Fischer sobre o Max Boxing, entrei com Oscar de la Hoya, falei à imprensa filipina, eu gosto de Manny Pacquiao. Sparring com Oscar, passei quase quatro semanas em Big Bear, onde só me deixaram fazer oito rodadas. Duas semanas antes eles disseram: 'Você não pode estar aqui, Oscar precisa de um homem menos forte' ".

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest