Pesquisa deve responder os problemas sobre tatuagens e calor | Notícias | Curitiba | Jornale

Pesquisa deve responder os problemas sobre tatuagens e calor

12/12/2017

É o que Glen Kenny quer descobrir.

Kenny é diretor da unidade de pesquisa de fisiologia humana e ambiental da Universidade de Ottawa, e sua equipe está à procura de jovens adultos altamente tatuados, dispostos a entrar em seu laboratório e a suar para a ciência.

"No final do dia, o que queremos ver é, isso tem um impacto na sua capacidade de trabalhar em ambientes quentes como hoje?" Kenny disse a Ottawa Morning da CBC Radio na segunda-feira.

A previsão de Ottawa na segunda-feira exigiu uma alta diurna de 32ºC. Um alerta de calor também está em vigor.

'Você pode lidar com o calor?'

O laboratório de Kenny possui uma ferramenta rara: um "calorímetro" de tamanho humano que mede a quantidade de umidade que os três a quatro milhões de glândulas sudoríparas podem gerar.

O calorímetro dá à equipe de pesquisa uma "maneira realmente precisa de definir a tolerância ao calor de alguém", disse ele.

"Nós temos a habilidade de não apenas olhar para isso com um efeito muito localizado", disse Kenny. "Nós queremos olhar para isso de uma perspectiva de todo o corpo. Por último, o que queremos saber é: você pode absorver? Você pode lidar com o calor?"

Pesquisa limitada

É uma pesquisa importante, acrescentou, porque, à medida que as tatuagens se tornam cada vez mais comuns, há mais pessoas trabalhando ao ar livre - os bombeiros, soldados e atletas são apenas alguns exemplos - que são tatuados.

A pesquisa existente também a limitação: além de um estudo recente sugerindo que pequenas tatuagens poderiam reduzir a transpiração localizada, Kenny disse que os cientistas realmente não sabem quais riscos, se houver, a tatuagem em grande escala.

"Se as tatuagens de alguma forma limitam a capacidade do corpo de dissipar o calor, isso pode criar [um perigo] ou colocar alguém em maior risco de uma lesão relacionada ao calor", disse Kenny.

"Eu realmente não acredito que haja um efeito importante", acrescentou. "É por isso que queremos resolver isso imediatamente, então as pessoas não se preocupam".

A equipe de Kenny está à procura de pessoas entre 18 e 35 anos que tatuaram mais de 40% de seus corpos para participar do estudo.

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Siga Jornale

  • Pinterest