Energia em matéria, cor tem peso | Notícias | Curitiba | Jornale

Energia em matéria, cor tem peso

24/10/2017

Na arte, depois de dominar as linhas, planos e formas observadas na natureza e seus movimentos, os discípulos da Bauhaus que tiveram a chance única de conviver com Klee, eram ensinados pelo professor a trabalhar as cores. Ele fazia uso da Teoria das Cores de Goethe, elaborada cem anos antes, no século 19, que demonstrava a “atração” entre cores complementares, como verde e vermelho.  Mas o artista levava mais adiante a teoria, formulando a tese de que, além de cores complementares harmonizarem entre si, cores tinham pesos diferentes que deveriam ser considerados na composição total do quadro.

Para transmitir isso aos alunos, fazia uma analogia entre cor e música, explicando que combinações de cores, assim como de notas musicais, podem ser harmoniosas ou dissonantes.  Conhecer a roda das cores - que posiciona cada cor do lado oposto de sua complementar - é indispensável para realizar combinações adequadas, pelos ensinamentos de Klee. Mas o uso da cor e a compreensão do “peso” de cada cor também podiam ser aprendidos, segundo ele, pelos exemplos dados pela natureza.

As cores estão em sub frequências, em que a luz se divide, como se vê em um prisma. E se um objeto tem cor verde, por exemplo, é porque ele consegue absorver todas as demais frequências de luz, mas reflete aquela que corresponde ao verde, mas que foi a mistura de amarelo com azul.

A luz é uma onda eletromagnética ou ela corresponde à uma certa faixa de frequências eletromagnéticas que são visíveis e 'acima' delas estão os raios ultravioletas, raios X e raios gama.

Portanto, ela é uma forma de energia. E o peso da cor é algo que está na física e é a força gravitacional dos corpos e quando nós falamos peso no dia-a-dia, na verdade nós estamos nos referindo ao conceito de massa.

Ao contrário da interpretação que muitos erradamente fazem da famosa equação de Einstein, E = m . c², “energia não é massa, nem massa é energia”, o que essa lei diz é que massa pode ser convertida em energia e vice versa. Ou seja, fisicamente falando, as cores não tem um 'peso' como se pudesse ser pesado uma balança comum, mas elas são energia, e energia pode ser convertida em matéria. E a matéria sim, a matéria tem massa, tem' peso'.

Mas Klee deu a formula do peso das cores, ao perceber as próprias tonalidades de cada cor que se destacava uma da outra na tela.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest