O açúcar cristaliza algo na alma Americana - sexualidade, violência e raça | Notícias | Curitiba | Jornale

O açúcar cristaliza algo na alma Americana - sexualidade, violência e raça

22/10/2017

Kara Walker

 

Onde a obra foi instalada

- Construída em 1865 pela família Havemeyer, a Domino Sugar Factory Waterfront já foi considerada a maior refinaria de açúcar do mundo. Às margens do East River, o complexo no bairro de Williamsburg fechou suas portas em 2004, quando se tornou um espaço abandonado. Em 2012, virou objeto de especulação imobiliária, contra protestos dos moradores que tentaram manter o local preservado.

 

A Artista

- Kara Walker, artista americana formada em Columbia, foi a escolhida para fazer uma instalação de despedida ao local em 2014. Lembrada por seus recortes de papel e misturas de luz e sombra, Kara é conhecida principalmente pelo tom de suas obras, que levantam questões relacionadas a sexualidade, violência e raça.

 

Sobre a instalação

- Intitulada de “A Sutileza”, a instalação de 23 metros foi criada com 35 toneladas de açúcar e fazia menção as esculturas de açúcar que decoravam banquetes luxuosos dos barões. Ao redor da grande esfinge branca, a artista criou pequenos meninos de caramelo.

 

“Comecei com um monte de desenhos; cada esboço passou de gestos muito mínimos a esta saída máxima com todos os tipos de peças móveis. Ele veio para encarnar algo que eu nunca iria querer ver, algo que era sobre a escravidão e da indústria e de açúcar e gordura desperdício”, explica a artista. “Era uma espécie de esboço que encarnava todos os temas sobre a industrialização que o espaço contém: América pós-industrial, o gesto grandioso dos industriais, e açúcar, o primeiro tipo de agro-negócio.”

O subtítulo da peça é “Sugar Baby Marvelous – an Homage to the unpaid and overworked Artisans who have refined our Sweet tastes from the cane fields to the Kitchens of the New World”, e faz referência ao trabalho não remunerado de artesãos que refinaram o nosso doce paladar, dos canaviais para as cozinhas do Novo Mundo. A instalação foi encomendada pelo departamento de arte pública de Nova York, sem fins lucrativos.

 

“Você não pode obter o açúcar sem passar por um processamento pesado; você não recebe o açúcar refinado, você recebe outras coisas. O açúcar cristaliza algo na alma Americana. É emblemático por todo seu processo industrial e toda a ideia de se tornar branco. Toma muita energia tornar coisas marrom em coisas brancas com o propósito de criar um branco igualmente puro e verdadeiro. O açúcar é carregado de significado e histórias sobre significado”, comenta.

 

 

 

Fonte: Democrart

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Destaques JORNALE
Please reload

Site de Notícias de Curitiba - Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

              redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest