Usina de Itaipu apresenta projeto para garantir acessibilidade em passeios

23/02/2021


O projeto será implantado gradativamente até 2024


Crédito: Parque Tecnológico Itaipu

O Complexo Turístico Itaipu (CTI), que permite conhecer a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia limpa e renovável, na cidade de Foz do Iguaçu (PR), vai tornar todos os passeios mais acessíveis. O projeto, que envolve a adoção de novas tecnologias, a adaptação de espaços e a capacitação de pessoal para receber pessoas com deficiência física ou sensorial (visão e audição) e mobilidade reduzida, será implantado gradativamente até 2024.


O investimento estimado é de R$ 406 mil, valor que proporcionará a oferta, por exemplo, de audioguias descritivos a pessoas com deficiência visual, com o detalhamento de toda a visita, incluindo o filme institucional (que também terá intérprete de Libras - Língua Brasileira de Sinais -, além de legendas em português e espanhol). O aplicativo do audioguia segue em desenvolvimento pela equipe do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e poderá ser baixado nos smartphones dos visitantes.


O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, elogia a iniciativa e ressalta que o projeto se soma a esforços do governo federal pela acessibilidade no setor. “O Ministério do Turismo já desenvolve várias ações por meio do Programa Turismo Acessível, que busca facilitar a vida dos milhões de brasileiros com alguma deficiência. Este é mais um passo para ampliar o acesso ao turismo e reforçar a capacidade do setor de gerar emprego e renda”, observa.


O projeto do CTI também inclui espalhar, em áreas de grande circulação, mapas táteis e totens com vídeos em Libras, contendo informações sobre a compra de ingressos, procedimentos de segurança, dados a respeito da produção de energia e curiosidades da usina. Além disso, peças impressas em 3D, com escala reduzida, permitirão conhecer, por meio do tato, a forma das principais estruturas da usina, como a barragem e o eixo da turbina.


Segundo o gerente-geral do CTI, Yuri Benites, as adequações têm como objetivo promover inclusão, elevar a satisfação dos visitantes e fomentar boas práticas de turismo e lazer acessíveis. “Fomos o primeiro atrativo turístico do Brasil a receber a certificação de qualidade ISO 9001, em 2012. Queremos também torná-lo (o CTI) referência em turismo acessível, beneficiando o cliente e valorizando a marca institucional de Itaipu Binacional e do PTI”, ressalta.


As mudanças previstas pelo CTI englobam, ainda, a oferta de um intérprete virtual de Libras na página do turismo de Itaipu na internet (https://www.turismoitaipu.com.br), conforme determina a lei 13.146/2015. O sistema poderá ser acessado por dispositivo móvel ou desktop e dará mais autonomia a deficientes auditivos (alfabetizados apenas em Libras) para obter orientações e adquirir passeios no site.


Atualmente, Itaipu oferece três passeios: Panorâmico, que proporciona uma ampla visão do vertedouro da usina; o Refúgio Biológico, uma visita à unidade criada para preservar a fauna e a flora durante a formação do reservatório, e o Ecomuseu, que recria cenários da pré-história à construção da hidrelétrica. Todos cumprem as medidas indicadas de proteção contra a Covid-19, como uso obrigatório de máscara facial, disponibilidade de álcool em gel e distanciamento social.


AÇÕES DO MTUR - Por meio do Programa Turismo Acessível, o MTur promove iniciativas voltadas à inclusão de pessoas com deficiência no setor. O órgão disponibiliza, por exemplo, o aplicativo Guia Turismo Acessível, que permite cadastrar e avaliar a acessibilidade de atrativos e empreendimentos turísticos do país. A Pasta também oferece uma cartilha com dicas para atender visitantes com deficiência, um guia destinado a prestadores de serviços turísticos.


No último Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (03.12), o MTur firmou parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para promover o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida aos principais destinos turísticos nacionais. As ações previstas envolvem o mapeamento da acessibilidade no turismo e da infraestrutura turística, bem como a sensibilização e a difusão de orientações sobre adaptações no setor.


A mesma data marcou o anúncio, durante cerimônia no Palácio do Planalto com a participação do presidente Jair Bolsonaro e da primeira-dama Michelle Bolsonaro, da estruturação de uma coordenação de turismo inclusivo pela Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). A Agência também criou um selo para empresas do setor que assegurem acessibilidade a turistas com deficiência em viagens no país.


Fonte: MTur

Publicidade

Últimas Notícias

7 de Março de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais Certificados

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale