UPA Boqueirão vira unidade de retaguarda para sintomas respiratórios

25/01/2022


Serão ativados 50 leitos para internamento



A partir da manhã desta quarta-feira (26/1), a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Boqueirão suspende, temporariamente, os atendimentos de busca direta e se reorganiza para ser retaguarda de leitos clínicos para pacientes com sintomas respiratórios.


A readequação da UPA Boqueirão faz parte das ações da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para ampliação da assistência hospitalar com a ativação imediata de 50 leitos de retaguarda, para onde serão encaminhados os pacientes com sintomas respiratórios atendidos nas demais UPAs da cidade e que precisam de internamento.


A decisão foi tomada pela SMS devido ao avanço do número de novos casos de coronavírus pela variante ômicron na cidade, ao mesmo tempo em que o Paraná vive uma epidemia do vírus Influenza A H3N2.


“Essa é mais uma medida da SMS para atravessarmos esse tsunami de casos que a nova variante trouxe. Contamos mais uma vez com os curitibanos, triplicando os cuidados de prevenção à covid, isolando-se se tiver sintomas e se vacinando com todas as doses contra essa doença”, afirma a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.


A UPA Boqueirão já funcionou exclusivamente como retaguarda do atendimento de covid-19 por onze meses, entre novembro de 2020 e outubro de 2021 e tem equipe, estrutura física e equipamentos para essa pronta readequação.


Com isso, moradores da região com urgência e emergências de Saúde devem buscar atendimento nas UPAs Pinheirinho, Sítio Cercado e Cajuru, além das Unidades de Saúde da região.


Resposta rápida

Com a alta transmissibilidade de duas doenças respiratórias (covid-19 e gripe), simultaneamente, o número de pessoas sintomáticas subiu exponencialmente no início de 2022, exigindo medidas céleres e eficazes.


Curitiba tem, atualmente, sua maior taxa de positividade para a covid-19. Dos mais 58 mil testes realizados neste mês, 45,9% confirmam que a pessoa está contaminada pelo Sars-Cov2.


O maior volume de casos, mesmo que na maioria, sem maior gravidade, amplia a possibilidade de casos com internamento. Isso é o que os números monitorados diariamente passaram a apontar: a cidade começou o ano com 17 pacientes internados em 65 leitos de UTI-covid/síndrome respiratória aguda (SRAG). Nesta segunda-feira (24/1) eram 76 pacientes em 102 leitos de UTI abertos para pacientes covid/SRAG.


Casos leves

A SMS orienta que as pessoas com sintomas leves se isolem e, se houver necessidade, entrem em contato, prioritariamente, com centrais de atendimento remoto em Saúde (teleconsulta, videoconsulta) a que tiver acesso (público ou privado). Curitiba oferta o atendimento pela Central 3350-9000, diariamente das 8h às 20h.

Últimas Notícias