Saúde de Curitiba chega a atender 4 pessoas por minuto com sintomas gripais

05/03/2021


Pessoas com sintomas lotaram unidades de saúde da cidade



A cada minuto, três a quatro pessoas, em média, procuram o sistema municipal de saúde com queixas de sintomas respiratórios. A cada hora são cerca de 225 atendimentos relacionados a sintomas gripais que podem indicar a covid-19. Estes dados relacionam-se apenas ao sistema municipal de saúde - unidades básicas de saúde, UPAs e central de teleatendimento (3350-9000).


Considerando apenas as unidades básicas de saúde, são quase 100 atendimentos por hora. Isto equivale a 20% do total de atendimentos das unidades de saúde. Esse é o maior porcentual de toda a pandemia. Antes da pandemia, esse percentual ficava em 5 a 6% e no pico anterior chegou a 16%, no máximo.


Nas UPAs, o atendimento por sintomas respiratórios já chega a 43% – são 46 pacientes com queixas relacionadas a sintomas gripais por hora, em média. Na Central de Atendimento, são atendidos 82 pacientes por hora, em média, com as mesmas queixas.


De acordo com a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, esse aumento da procura pelos serviços de saúde relacionados a casos respiratórios mostra maior intensidade da pandemia.


“Estamos com uma nova variante circulando, com aumento do número de novos casos, internamentos, óbitos. É preciso que a sociedade reforce as medidas de prevenção e se atente às orientações sanitárias para que possamos novamente achatar a curva”, diz Márcia.


Desde o início do ano até esta quinta-feira (4/3), foram abertos 34 novos leitos de UTI SUS exclusivos covid-19. Mas, mesmo com os 408 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19, a taxa de ocupação está em 95%.


“Ninguém morreu em Curitiba por falta de assistência, mas é importante todos entenderem que há um limite para a rede de saúde expandir. E nós já chegamos neste limite”, afirma Márcia.


São 8.476 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. O número de óbitos por covid-19 em 2021 já concentra 1/5 de todas as mortes pela pandemia em Curitiba. Nas últimas duas semanas, a média móvel de casos aumentou 117% e de casos ativos 75%. A média móvel de óbitos aumentou 54%.


“Se cada um não fizer a sua parte para interromper as correntes de transmissão não tem leito de UTI que dê conta”, diz Márcia.

Últimas Notícias