banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Robô retira câncer de fígado em Hospital de Curitiba

22/11/2020


Robô Da Vinci XI possui quatro braços, telecomandados pelo cirurgião




Alívio e alegria são os sentimentos que Suzana Nemeth, de 79 anos, diz sentir após ser a primeira paciente no sul do Brasil a fazer uma cirurgia de retirada de câncer no fígado - a hepatectomia - com o uso do robô "Da Vinci XI", considerado o mais moderno do mundo, conforme o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG).


"Eu tive uma trombose na perna, e ela foi parar no pulmão. Nos exames apareceram os problemas. A cirurgia foi no começo de outubro. A cicatrização a gente nem nota, nem se vê, parece só um risquinho. Fiquei no hospital menos de uma semana", contou ela.


A idosa mora em Paranaguá, no litoral do Paraná, e se deslocou até a capital para fazer o procedimento no HNSG.


Conforme o médico Eduardo José Brommelstroet Ramos, que comandou a cirurgia, Suzana está muito bem, fazendo apenas quimioterapia via oral.


"Para fazer corte em uma paciente obesa, que usa anticoagulante, tem muito mais risco do que fazer pequenas incisões. A última fronteira sempre é o fígado e o pâncreas, que são cirurgias mais complexas, com chances maiores de sangramento e complicações. Ser operada na forma robótica trouxe apenas benefícios e segurança para ela", comentou.


Outras duas cirurgias com o Da Vinci XI, feitas no HNSG, foram pioneiras no estado, como:


"Principalmente para os pacientes oncológicos, eu acho que é muito importante que o quanto antes eles se recuperam do procedimento cirúrgico, porque assim eles ficam habilitados para encarar o resto do tratamento mais rápido. A recuperação da cirurgia com robô permite que não se atrase o tratamento complementar, assim as chances de cura são maiores ainda", comentou Schner.

5 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest