Paraná era "centro" de ordens da facção Comando Vermelho

14/09/2021


Penitenciária de Catanduvas abriga o líder “Marcinho VP”



O Ministério Público Federal (MPF) denunciou 26 pessoas – entre elas um agente penitenciário federal, advogadas de presos e várias lideranças do Comando Vermelho – pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e associação para o tráfico de drogas. A ação penal aceita pela Justiça Federal (JFPR) é desdobramento da Operação Efialtes, que desvendou esquema de rede de transmissão de ordens de líderes da organização criminosa presos na Penitenciária Federal de Catanduvas para integrantes em liberdade e para presos internos.

Os dados colhidos em investigações da Polícia Federal, entre eles diversas filmagens realizadas em 2020 e 2021, mostram que 18 presos foram beneficiados pelo esquema criminoso, entre eles Márcio Santos Nepomuceno, conhecido como Marcinho VP, famosa liderança do Comando Vermelho.

Segundo as investigações, o agente penitenciário Docimar Pinheiro de Assis retransmitia ordens dos lideres do CV para duas advogadas do grupo criminoso. Por meio de uma intermediária, elas faziam os bilhetes e ordens chegarem às mãos dos responsáveis por cumprir as ordens da direção da organização criminosa.

Últimas Notícias