MON leva a obra de Antonio Arney a Piraquara, terra natal do artista

07/06/2021


A mostra será inaugurada no dia 10, na Casa da Memória Manoel Alves Pereira



O Museu Oscar Niemeyer (MON) leva a Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, obras da exposição “Estruturas e Valores”, do artista paranaense Antonio Arney. A mostra é um recorte da que foi apresentada no MON até março de 2019 e será inaugurada no dia 10 de junho, na Casa da Memória Manoel Alves Pereira.


“A proposta das itinerâncias é levar um pouco do Museu Oscar Niemeyer a outros municípios, o que permite que a instituição estenda a sua atuação”, diz a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika. “Além de ajudar a democratizar a arte, as itinerâncias deixam um convite para a integração cada vez maior da cultura paranaense”, comenta.


60 anos de arte

A longa e consistente trajetória de Antonio Arney no meio cultural artístico paranaense é destacada por uma das responsáveis pela curadoria da mostra, Eliane Prolik. “Arney contabiliza 60 anos de atuação, conhecimento e experiência. Sua obra é viva e pulsante, mantendo-se atual aos 93 anos de idade do artista”, comenta.


Fazem parte da exposição itinerante cinco obras que utilizam como técnica colagem, relevo e pintura, além do vídeo “Colmatagem”, de Eliane Prolik e Larissa Schip. As pinturas com colagens em madeira de Arney herdam aspectos da arte construtiva e unificam elementos geométricos a materiais usados e de rejeitos, trazendo uma discussão atual sobre a sustentabilidade, arquitetura e memória.


As colagens em madeira nos falam de um mundo construído em respeito à natureza. “Aquela advinda das árvores, do saber agregar elementos e valores da vida: a paisagem, a cidade, os outros, a casa ou uma arquitetura social ampla”, diz Eliane.


Em seu papel de artista, Arney aponta novos significados, potências e descobertas, fazendo refletir sobre o reuso, a sustentabilidade, a reciclagem e a importância da memória das coisas e do tempo, todos temas essenciais e atuais. A curadoria da exposição também é assinada por Adolfo Montejo Navas.


Sobre Antonio Arney

Nasceu em 1926, em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba. Artista autodidata, aprendeu o ofício de marcenaria com seu pai. Sua longa trajetória profissional começou em Curitiba, desde o final dos anos 1950, com a participação no Círculo de Artes Plásticas.


Em seu currículo constam inúmeros prêmios, sendo oito premiações no Salão Paranaense. Participou de importantes mostras nacionais e internacionais como: I e II Panorama de Arte Atual Brasileira – MAM/SP (1969 e 1970); XI Bienal Internacional de São Paulo (1971); Brasil Plástica 72; I e III Salão Nacional de Artes Plásticas (1978 e 1980), no Rio de Janeiro.


Realizou as individuais “Estações”, no Museu de Arte Sacra de Curitiba (Masac); “Outra Coisa”, no Museu de Arte (Musa)/UFPR, e “O Poeta e o Marceneiro”, na Galeria Boiler (Curitiba). Participa atualmente da exposição “Luz ≅ Matéria”, com obras do acervo do MON, em Curitiba.

Últimas Notícias