Miami vive nova "onda" de negócios para americanos e estrangeiros

19/07/2021


Cidade da Flórida vive movimento intenso de empreendedorismo e preço da moradia dispara



A cidade de Miami, no Sul da Flórida (EUA), está atraindo pessoas e negócios de outras partes do país e do mundo, se tornando um dos novos centros de referência para muitos projetos de empreendedorismo na área de tecnologia.


As comparações com o Vale do Silício, na Califórnia, se tornaram comuns em artigos de jornais e no discurso de alguns políticos locais.


"Nunca vimos nada parecido antes", diz à BBC News Mundo, o serviço de notícias em espanhol da BBC, Rebecca Danta, da empresa Miami Angels, que se dedica a fazer a ponte entre sócios capitalistas interessados em investir e empreendedores do setor de tecnologia em busca de financiamento para seus projetos.


Para ela, Miami está se beneficiando "da descentralização gerada pela pandemia", que levou muitos profissionais que trabalham remotamente de estados americanos em que as restrições impostas pela pandemia de covid-19 eram mais severas a buscar um clima mais ameno, mais liberdade e menos impostos.


Em artigo publicado no jornal Miami Herald, Craig Studniky, diretor-executivo da agência imobiliária Related ISG Realty, disse que "durante anos, o sul da Flórida viu um aumento populacional de mais de 900 pessoas por dia", mas a pandemia "agiu como o catalisador de um dos maiores aumentos na migração já vistos".


O fenômeno se reflete no mercado imobiliário, com um aumento interanual de 39,8% nas vendas nos primeiros quatro meses de 2021, de acordo com dados da associação de corretores de imóveis da cidade.


Esse boom do mercado imobiliário é justamente o que preocupa muitos políticos e ativistas locais, que veem como isso dificulta o acesso à moradia para famílias de trabalhadores e de classe média, em uma das cidades mais desiguais dos Estados Unidos.


Foto: Visit Miami


Últimas Notícias