Kremlin será responsabilizado pelos seus atos, advertem líderes da União Europeia

24/02/2022


Eles devem se reunir em Bruxelas para discutir a situação



Os líderes da União Europeia (UE) Charles Michel e Ursula von der Leyen advertiram nesta quinta (24) o Kremlin de que ele será "responsabilizado" pelos seus atos, depois de a Rússia lançar operação militar contra a Ucrânia.


Eles devem se reunir em Bruxelas, após Moscou ter sido avisada sobre o endurecimento das sanções europeias caso a Rússia atacasse a Ucrânia.


"Vamos pedir contas ao Kremlin", escreveram o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Úrsula von der Leyen, em publicação conjunta no Twitter.


"Condenamos veementemente o ataque injustificado da Rússia à Ucrânia. Nessas horas escuras, nossos pensamentos estão com a Ucrânia e as mulheres, homens e crianças inocentes que enfrentam esse ataque não provocado e temem pelas suas vidas", acrescentaram.


As primeiras sanções da UE contra Moscou entraram em vigor nessa quarta-feira (23) à noite, em reação ao reconhecimento da independência dos territórios separatistas na Ucrânia oriental, na segunda-feira.


As medidas atingiram 23 "figuras de destaque", incluindo o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e chefes militares russos, bem como três bancos, uma empresa e 351 membros da câmara baixa da Assembleia Federal russa.


As sanções europeias incluem proibições de viagens e congelamento de bens na UE.

Últimas Notícias