Funcionários do HC de Curitiba entram em greve nesta quinta

13/05/2021


50% do efetivo do Complexo Hospital de Clínicas da UFPR pode aderir a greve



Os servidores públicos da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) entram em greve a partir desta quinta, dia 13, em 17 Estados por perdas salariais. A empresa é responsável pela gestão dos hospitais universitários e vinculada ao Ministério da Saúde.


A expectativa do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado do Paraná (SINDSEP-PR) é que de 500 a 600 funcionários (50% do efetivo) do Complexo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (CHC), em Curitiba, parem as atividades.


Em todo o Brasil, cerca de 50 mil trabalhadores devem aderir à paralisação.


A greve é causada pelo impasse criado no processo de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2020/2021.


A Ebserh ofereceu um reajuste linear de R$ 500 aos trabalhadores celetistas condicionado à alteração da base de cálculo da insalubridade dos funcionários, que passaria a incidir sobre o salário mínimo, e não sobre o vencimento básico. Na prática, as perdas salariais chegariam a 27%, segundo a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).


Nesta quarta, dia 12, o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, gravou um vídeo com informações sobre mais uma etapa do processo de mediação on-line dos empregados da Ebserh no Tribunal Superior do Trabalho (TST).


Segundo ele, a empresa informou que enviou três propostas a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest). Em todas há alteração do indexador de cálculo de insalubridade dos trabalhadores.


A Ebserh protocolou dissídio de greve. Nenhuma proposta de reajuste salarial também foi mostrada.

Últimas Notícias