Grupo RIC lamenta o lockdown e defende planejamento

08/03/2021


Setor privado e setor público precisam traçar estratégias



Há um ano todos nós sofremos com a pandemia da Covid-19. Entendemos o grave momento e nos solidarizamos com a dor das famílias que perderam entes queridos, das pessoas que perderam seus empregos, das empresas que perderam receitas e clientes. A sociedade está doente e, além de cuidados preventivos e vacina para todos, precisa de um remédio inadiável: o planejamento.


O Grupo RIC convoca as entidades da sociedade civil para a criação de uma força tarefa que se some ao poder público na busca por uma estratégia de enfrentamento da crise em todas as suas dimensões: sanitária, social e econômica.


Nos últimos doze meses, boa parte dos gestores públicos vem agindo de forma apenas reativa. Quando os casos de infecção pela Covid-19 aumentam, adotam-se medidas para restringir a circulação de pessoas, com prejuízo para todos e sem resultados sustentáveis. Recessão econômica causa desemprego, fome e insegurança.


Esse não é um caminho viável. Temos que nos antecipar aos problemas, pensar em saídas além do fechamento. Buscar soluções preventivas para que a Covid-19 não faça mais vítimas. E sem descuidar do amanhã. É dever de todos planejar o futuro. Precisamos nos unir em um esforço coletivo e democrático para acertar a direção.


Não podemos cair na falsa dicotomia de escolher entre vidas e dinheiro. A economia precisa de pessoas para existir, e as pessoas precisam de uma economia funcionando.


O Grupo RIC defende a reabertura do mercado com os cuidados necessários. Temos que investir na conscientização individual para que todos atendam os protocolos de segurança. E precisamos programar os próximos passos, o que inclui fazer o poder público planejar o enfrentamento e a saída da crise no curto, no médio e no longo prazo.

Últimas Notícias