Fani Bracher completa 77 anos com lançamento de documentário

07/06/2021


Documentário “A Casa Verde de Todas as Cores" é dirigido por sua filha



Dia 11 de junho, a artista plástica Fani Bracher completa 77 anos de vida. Para comemorar, o Ateliê Casa Bracher exibe o documentário inédito “A Casa Verde de Todas as Cores", dirigido por sua filha, Blima Bracher, que apresenta pela primeira vez ao público um recorte da carreira da pintora através de seu mais recente trabalho: 13 grandes painéis pintados nas paredes na casa da família em Piau, na Zona da Mata mineira (fotos em anexo. Crédito de Larissa Bracher).


Fani sempre foi uma artista inquieta e nem mesmo os anos foram capazes de pará-la. Em 2019, ela começou a fazer intervenções artísticas nos móveis e objetos da casa. Um dia, já aos 75 anos, subiu em uma escada e começou a desenhar as paredes que logo foram tomadas por pinturas abstratas e coloridas, totalizando 30 metros quadrados de extensão. As obras acabaram dando origem ao documentário que mostra a realização do último afresco, feito agora, em maio deste ano.


Antes das pinturas ganharem as paredes da casa, Fani pintou diversos objetos e também usou a técnica de craquelê: mesa, cadeira, baús, bule, espelho, azulejos, geladeira ganharam intervenções. “Gosto muito de interferir no meio em que estou vivendo. Comecei pintando um lugar de tratar passarinhos que era do meu pai, depois fui para o depósito de lenha. Em seguida, vieram as paredes”, conta a artista. Diferentemente de seus quadros a óleo, nos quais os tons de cinza e preto predominam, os painéis ganharam cores fortes e vibrantes. “Depois que comecei a trabalhar com chita, perdi um pouco o pudor das cores. A chita mistura laranja com roxo e dá certo, não tem um filtro”, explica Fani, que pretende estender a pintura para o muro externo da casa.


Misturar materiais e elementos é uma marca do trabalho da artista que começou a carreira nos anos 70, em Ouro Preto, onde reside até hoje com o companheiro, o também pintor Carlos Bracher. Parte de suas obras podem ser vista no tour virtual do projeto Ateliê Casa Bracher (www.ateliecasabracher.com), no qual, desde dezembro, mais de 150 obras da coleção pessoal do casal de artistas estão disponíveis online.


O lançamento do doc “A Casa Verde de Todas as Cores" será dia 11, a partir das 20h, pelas redes sociais do Ateliê Casa Bracher (Youtube e Instagram), de graça. Neste link tem o teaser https://www.youtube.com/watch?v=OCksJZZ0-50


SOBRE FANI BRACHER

Fani Bracher nasceu na Fazenda Experimental em Coronel Pacheco, Minas Gerais. Graduada em jornalismo pela UFJF. Em 1968 casa-se com o artista Carlos Bracher e juntos viajam para a Europa, onde residem por dois anos. Em Portugal, fez cursos de história da arte com os críticos José Augusto França e Mário Gonçalves. Frequentou o atelier do pintor Almada Negreiros. Na cidade do Porto, conheceu a obra de Amadeu de Souza Cardoso. Depois de Portugal, partiu em viagem de estudos pelos Museus da Dinamarca, Suécia, Finlândia, Rússia, Alemanha, Holanda, Bélgica e Inglaterra.


Fixou residência em Paris de agosto de 1969 a dezembro de 1970. Ainda na capital francesa, participou ativamente do "Centro de Artes para estudantes e artistas americanos". De volta ao Brasil, estabeleceu-se em Ouro Preto, onde começa a pintar em 1973. A partir desta data, participou de várias exposições em museus, centros culturais e galerias de arte no Brasil e no Japão. Realizou 30 exposições individuais em cidades brasileiras e também no Uruguai, Argentina, Peru, Colômbia, Guiana Francesa, Jamaica e França. Sobre sua obra escreveram vários críticos, como Celma Alvim, Rubem Braga, Wilson Coutinho, Roberto Pontual, George Racs, Ferreira Gullar, Flávio de Aquino, Walmir Ayala, Walter Sebastião, Marcelo Castilho Avellar, Frederico Moraes e Ângelo Oswaldo de Araújo Santos.


Ganhou 14 prêmios de pintura e tem seus trabalhos incluídos em 34 livros de arte. O livro “Fani Bracher”, de Frederico e Ronald Polito (editora Salamandra Consultoria e Editora SA) obteve o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o V Prêmio Fernando Pini de Excelência Gráfica, como “Melhor Livro de Arte”. Tem ainda publicado o livro “Fani Bracher”, (C/Arte Editora), de autoria de José Alberto Pinho Neves.

Últimas Notícias