Exposição Mutirão mostra história de catadores de Curitiba

23/11/2020


As 15 fotos escolhidas para a mostra registram a rotina de um grupo de trabalhadores do Sítio Cercado


Ari Baiense, expõe fotos do livro Mutirão na Rua da Cidadania Cajuru. Curitiba, 18/11/2020 Foto: Valdecir Galor/SMCS

Treze anos da história dos catadores de materiais recicláveis estão sendo contadas na exposição fotográfica Mutirão, na Rua da Cidadania do Cajuru. As 15 fotos escolhidas para a mostra registram a rotina de um grupo de trabalhadores do Sítio Cercado sob as lentes do fotógrafo Ari Baiense. A exposição fica aberta ao público até 13 de dezembro.


O nome da exposição vem do nome da associação de catadores de materiais recicláveis que Baiense fotografou, com o objetivo de dar visibilidade ao trabalho desses profissionais e registrar a história do grupo.


“O Mutirão sempre buscou se autogerenciar e é um caso de sucesso entre os catadores. As fotos valorizam o trabalho deles, buscam ressaltá-los como seres humanos e dar para eles a memória de sua própria história”, diz Baiense.


Ari conheceu o Mutirão em 2007, apresentado por um volutário que colaborava com associação e que participou de uma das oficinas de fotografia ofertada por Baiense. Desde então, 13 anos de visitas para registrar a árdua rotina de quem coleta e separa o que pode ser reciclado como modo de sobrevivência.


Nascida em 2004, a associação faz parte do Programa Ecocidadão da Prefeitura de Curitiba, que visa melhorar a qualidade de vida dos catadores e fortalecer a rede de coleta e separação de materiais também reutilizáveis.


Conscientização ambiental

A conselheira fiscal da Associação, Sandra Mara de Lemos, 47 anos, foi uma das fotografadas para o projeto. Ela conta que a exposição das fotos tem contribuído para ampliar a consciência ambiental da população na destinação correta dos resíduos.


“Com a divulgação feita pelo Ari, conseguimos falar um pouco mais do nosso trabalho, ter o reconhecimento. Muitos nos procuram para aprender a separar os descartáveis e encaminhar para a gente”, fala.


Para que mais pessoas possam ver o trabalho dos catadores transformado em arte, a exposição vai passar por diversos pontos da cidade. Este ano, as fotos já foram exibidas no Portão Cultural e na Cidadania Matriz. Nos próximos meses, nas demais Ruas da Cidadania de Curitiba, com apoio da Fundação Cultural de Curitiba (FCC).


Fotolivro

O trabalho foi transformado também em um fotolivro, lançado em março de 2019. Além das fotos, o livro tem relatos dos catadores sobre seu trabalho, com textos do jornalista José Carlos Fernandes e de alunas do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Paraná, e ilustrações de Vinícius Barajas.

A renda da venda do livro é revertida para a Associação Mutirão.

Serviço: Mutirão, de Ari Baiense

Visitação: até 13 de dezembro de 2020, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h Local: Rua da Cidadania do Cajuru (Avenida Prefeito Mauricio Fruet, 2.150, 2º piso, em frente ao Espaço Cidadão).

Livro Mutirão à venda no site do fotógrafo (www.aribaiense.com) e no Café Galeria Portfolio (R. Alberto Foloni, 634, Juvevê) por R$ 60 (descontos de até 40%). Renda revertida para a Associação Mutirão.

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

17 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest