Especialista em harmonização facial diz que cada idade tem sua beleza

20/04/2021


Patrícia Giacomelli dá as dicas para os melhores resultados



São tantas opiniões que ouvimos sobre idade e beleza. Que a idade só chega para quem se deixa envelhecer, ou ainda que a idade está na cabeça de cada um. Mas a verdade é uma só, independente do nosso “querer”, o corpo envelhece sem nos pedir permissão. Por isso mesmo, muita gente evita pensar qual seria sua idade se você não soubesse quantos anos tem? Com certeza quando o pensador e filósofo chinês Confúcio elaborou essa afirmação, não imaginava quão moderno e atual seria. Afinal, engana-se quem acredita que a vaidade e a beleza são uma exclusividade apenas da juventude. Ou ainda que querer “ser jovem” é apenas algo estético.


Foi-se o tempo em que as preocupações e cuidados com a preservação da aparência saudável começavam após uma certa idade, até porque quanto mais avançam as pesquisas, mais sabemos que os cuidados preventivos são os mais eficazes. A ideia é cuidar e se manter saudável o maior tempo possível.


Importante dizer ainda que os cuidados vão muito além da idade e do gênero. Homens e mulheres se cuidam cada vez mais e se mantêm jovens por muito mais tempo. Estar satisfeito com a aparência cada vez mais está diretamente ligado à saúde. E como a saúde despertou a atenção das pessoas durante a pandemia. “Sabemos que a beleza vem de dentro e, por isso mesmo, temos que nos preocupar com o que somos, mas sem esquecer que a tecnologia quando necessária está a nosso favor”, explica Patrícia Giacomelli, cirurgiã dentista especializada em harmonização facial com mais de 15 anos de experiência (CRO PR 30042).


Em cada momento da vida temos necessidades diferentes. A estrutura corporal, a pele, os músculos, a gordura e os ossos sofrem inúmeras alterações durante os anos. No entanto, é a pele um dos órgãos que desde a infância recebe mais influências internas e externas e, por isso, devemos nos preocupar o quanto antes em cuidar dela. Não tem como negar, fatores como: hormônios, alimentação, sol, vento, cigarro, hidratação podem causar manchas, sinais e as temidas rugas. Claro que elas vão chegar, mas se pudermos adiá-las sem perder nossa identidade, muito melhor.


Sabemos que a pele se renova de tempos em tempos e com o passar da idade esse ciclo ganha intervalos maiores e as células sofrem por mais exposição aos fatores externos, como o sol, vento, calor e o próprio envelhecimento natural.


A pele, quando não é devidamente cuidada, pode apresentar várias alterações como: ressecamento, manchas, cicatrizes e falta de contorno. Sendo assim, é importante adotar tratamentos adequados para sua idade e buscar pessoas devidamente qualificadas no mercado. “As pessoas precisam entender que técnicas minimamente invasivas estão disponíveis e podem ser uma excelente aliada”, afirma a Dra. Patrícia.


Dos 15 aos 20 anos o ideal é usar de tratamentos mais “simples”, afinal temos o tempo a nosso favor. Uma limpeza de pele uma vez por ano, abusar de uma alimentação balanceada, filtro solar, evitar bebidas alcoólicas e cigarros. Abusar de cremes hidratantes, estar sempre bem hidratado, dormir bem, sempre tirar a maquiagem antes de dormir. São alguns dos cuidados simples que soam quase como conselhos, mas ainda muitos eficazes a longo prazo.


Já dos 20 aos 35 anos o ideal é manter a pele saudável e intensificar os tratamentos e aqui já podemos iniciar a aplicação da toxina botulínica em pontos chave, assim como o preenchimento com ácido hialurônico, que já podem ser usados como uma ação preventiva aos efeitos do tempo. Também a Bichectomia, a rinomodelação, a até um preenchimento labial podem complementar a beleza. Nessa faixa etária o ideal é utilizar doses menores e aplicações mais espaçadas, a cada 8 ou 9 meses, por exemplo. “Normalmente direcionamos esse tipo de ação mais preventiva para pacientes que apresentam uma predisposição genética precoce ou que já apresentem linhas de expressão mais marcadas. A ideia é evitar que, no futuro, se formem vincos mais profundos”, diz Patrícia.


A partir dos 35 anos já podemos começar algo mais eficaz, mas sempre pensando em manter a aparência. “Não podemos pensar em perfeição e buscar referências no que vemos na televisão. Sempre bom reforçar que temos que buscar a beleza individual, o que fica bem e bonito em cada pessoa”, conta a profissional. Nesta faixa etária já podemos indicar mais opções de tratamentos além das já citadas: preenchedores oro faciais para melhorar o contorno e volume da face, os fios faciais que ajudam eliminar a flacidez, a lipólise de papada e o microagulhamento.


Afinal, Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, é a partir dos 25 anos, que o corpo começa lentamente a diminuir a produção de colágeno, o que contribui para o aparecimento da flacidez, das rugas e linhas finas. Mas é a partir dos 50 anos que esse processo se torna mais acelerado, afinal geralmente é nesta etapa que ocorre uma grande perda hormonal. Algumas mulheres já estão na menopausa ou entrando nela.


Entre os tratamentos mais procurados estão preenchimento (1º), toxina botulínica (2º), peeling (3º), laser (4º) e suspensão com fios (5º). “O tipo de procedimento indicado (cirúrgico ou não cirúrgico) irá depender de cada fase e da necessidade de cada paciente. Por exemplo, maiores graus de envelhecimento, demandam cirurgia. Por outro lado, casos mais leves, sem um grau de envelhecimento estabelecido, podem ser resolvidos com procedimentos mais simples e menos invasivos”, ressalta Patrícia Giacomelli.


Vale a pena dizer ainda que nossa pele é o maior órgão do corpo e, por isso mesmo, merece nossa atenção. Cuidar desse órgão tão importante, não é apenas uma questão de estética e sim, de saúde.


Sobre a profissional:


Gaúcha, Patrícia Giacomelli começou sua carreira em 2006 quando se formou cirurgiã dentista, pela Faculdade de Odontologia ULBRA. Em 2013, inicia o primeiro curso de Harmonização Facial e desde então nunca mais parou. Apaixonada pela profissão, a profissional nunca para de estudar e sempre busca aperfeiçoamento e conhecimento sobre as mais diversas técnicas que envolvem o tema.


Preenchedores injetáveis, feitos de substâncias como ácido hialurônico e colágeno, famosos por dar volume aos lábios ou preencher as tão temidas rugas, estão aumentando em popularidade em todo o mundo. Nos Estados Unidos, o número desses procedimentos passou de 1,8 milhão em 2010 para 2,6 milhões em 2016, de acordo com dados da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos. No Brasil não é diferente. Segundo o Censo 2016 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos dois anos, a procura por procedimentos estéticos não cirúrgicos, incluindo o preenchimento, aumentou 390%. E esses números crescem ano a ano. “Um dos fatores que sempre destaco é o conhecimento da biomecânica e do tônus muscular da face que um Ortodontista detém, e isso é um fator muito importante na hora de evitar dor nos procedimentos não invasivos e não cirúrgicos”, conta Patrícia.



Serviço:

Dra. Patrícia Giacomelli Harmonização Facial

Endereço: Rua Mário Tourinho, 1805 sala 705 - Edifício Lake Side Corporate (em frente ao terminal campina do Siqueira, próximo ao Park Shopping Barigui).

Facebook e Instagram: @drapatriciagiacomelli


Últimas Notícias