Dia do Biomédico ressalta atuação decisiva na pandemia e no combate às fake news

19/11/2021


Profissionais serão homenageados com iluminação especial do Jardim Botânico de Curitiba



O Dia Nacional do Biomédico será comemorado no próximo sábado (20/11) e esses profissionais da saúde merecem o reconhecimento pelos trabalhos durante a pandemia de Covid-19.

Após quase dois anos de atividades ininterruptas, eles continuam a fazer testagens em massa, analisar diariamente o resultado de milhares de exames, pesquisar, desenvolver vacinas e aprová-las junto aos órgãos de saúde pública.

No Brasil, foram os biomédicos que sequenciaram e fizeram o monitoramento genético do Coronavírus em tempo recorde de 48h. No resto do mundo, esse procedimento levava em média 15 dias.

“Em todo país são mais de 83 mil profissionais que continuam a trabalhar na linha de frente no combate à Covid-19. Só no Paraná são cerca de 4.500 biomédicos que atuam em mais de 30 atividades ligadas à saúde”, explica o presidente do Conselho Regional de Biomedicina do Paraná 6ª Região (CRBM6), Thiago Massuda.

Combate às fake news

A Biomedicina surgiu no Brasil em 1966. O Dia Nacional do Biomédico foi criado por lei federal e a escolha da data faz referência ao dia em que a profissão foi regularizada no país, em 1979.

Mais do que auxiliar nos diagnósticos de doenças e orientar tratamentos, os biomédicos também continuam sendo essenciais no combate às fake news – principalmente relacionadas à eficiência e eficácia das vacinas contra a Covid-19.

Um dos nomes mais conhecidos da profissão e que ajudou a combater as mentiras que circulavam pela internet foi Roberto Figueiredo, conhecido como ‘Doutor Bactéria’.

“A ciência não foi o maior desafio. O grande problema foi a facilidade de se pulverizar fake news pela internet. Tivemos muito trabalho para levar informações científicas e corretas à população”, explica o Doutor Bactéria - que ficou conhecido nacionalmente por causa de programas e reportagens em redes de televisão que orientam o público a cuidar da higiene e saúde pessoal.

Durante a pandemia, Roberto Figueiredo usou sua experiência de comunicação e produziu 684 lives para chamar a atenção dos riscos, meios de prevenção e os benefícios gerados pela vacinação em massa no combate à pandemia.

Procura

Segundo o presidente do CRBM6, Thiago Massuda, diante de toda complexidade que ainda persiste na pandemia, os biomédicos serão cada vez mais requisitados.

“Todo profissional de saúde deve ser valorizado por si só. Por isso, desejamos que o 20 de novembro seja lembrado como data de agradecimento a todos os mais de 83 mil biomédicos do Brasil que ajudam a esclarecer as dúvidas da população sobre o Coronavírus, as variantes, vacinas e para que as informações falsas e fraudulentas não prejudiquem a sociedade”, completa Thiago Massuda.

O Doutor Bactéria defende que os profissionais e estudantes devem focar suas atenções em constante aprimoramento, para ampliar chances de trabalho e projetos. “Costumo dizer que o profissional da biomedicina tem duas obrigações: ser o melhor do Brasil e contar para todo mundo que ele é o melhor. Se for o melhor e se todos souberem, não faltarão oportunidades.”

Homenagem

Em homenagem aos profissionais da biomedicina, a estufa de vidro do Jardim Botânico de Curitiba ficará iluminada na cor verde, a partir das 18h do dia 20 de novembro. A ação é uma homenagem da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Conselho Regional de Biomedicina do Paraná 6ª Região (CRBM6) pelo Dia do Biomédico celebrado neste sábado (20/11).

Últimas Notícias