Cris Cyborg ‘desfigura’ rival e mantém cinturão do Bellator

27/04/2022


Lutadora de 36 anos agora projeta combate no boxe



A lutadora curitibana Cristiane Justino, a Cris Cyborg, fez mais uma vítima em seu vitorioso cartel no MMA. Na noite de sábado (madrugada de domingo no Brasil), ela derrotou mais uma vez a australiana Arlene Blencowe, por decisão unânime dos juízes, em Honolulu, no Havaí, onde aconteceu o Bellator 279.


Com cinco vitórias em cinco lutas na organização, Cyborg aceitou a revanche diante de uma adversária que havia finalizado em 2020, também no Bellator. Desta vez, a defesa do título dos pesos penas (até 65,8 kg) foi mais dura, e o castigo da curitibana deixou Blencowe com o rosto bastante inchado ao final da luta.


“Obrigada Arlene Blencowe por compartilhar a gaiola do Bellator comigo. Você ganhou meu respeito e eu aprecio você me fazendo melhor”, agradeceu Cyborg em sua página no Instagram.


Com 26 vitórias, duas derrotas e um “no contest” em seu cartel no MMA, a lutadora criada na Academia Chute Boxe agora quer explorar novos ares. A escolha será o boxe, conforme ela disse depois do mais recente compromisso no Havaí.


“Para mim, a próxima luta que eu gostaria de fazer seria uma luta de boxe. É um dos meus sonhos. Talvez seja o próximo (sonho) em que estou trabalhando”, afirmou ela. “Tenho treinado boxe para uma luta. Estou procurando uma luta. Fiz tudo, fiz jiu-jitsu, fiz uma luta de muay thai. A única coisa que não fiz foi boxe. É um dos meus sonhos”.


Aos 36 anos, Cyborg também não descartou a participação em algumas superlutas, como diante da algoz no UFC, Amanda Nunes, ou nomes como os das americanas Kayla Harrison (bicampeã olímpica do judô) e Cat Zingano (ex-UFC e hoje no Bellator).

Últimas Notícias