Congresso se articula para dobrar valor do fundo eleitoral para no mínimo R$ 4 bilhões

23/08/2021


Arthur Lira (PP-AL) sinalizou que os deputados não trabalham com valor menor do que R$ 4 bilhões para as eleições de 2022



Após o presidente Jair Bolsonaro vetar um trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que destinava cerca de R$ 5,7 bilhões ao Fundo Eleitoral, parlamentares do Congresso Nacional se mobilizaram para garantir ao menos R$ 4 bilhões para as campanhas de 2022.


A interlocutores, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou que os deputados não trabalham com valor menor.


O montante é mais que o dobro do custo das eleições gerais de 2018, quando as legendas tiveram R$ 1,7 bilhão à disposição. As informações foram publicadas pelo jornal O Globo.


"Não são suficientes os R$ 2 bilhões corrigidos pela inflação", disse o presidente do Solidariedade, o deputado federal Paulinho da Força (SP). "Vamos discutir com os partidos e verificar um valor suficiente para as eleições e vamos aprovar no Congresso. Temos que aumentar esse fundo que ele mandar", acrescentou.


De acordo com o parlamentar, a expectativa é que Bolsonaro envie uma proposta com valor bem inferior aos R$ 5,7 bilhões por meio da LOA. "É lógico que ele (presidente Bolsonaro) vai enviar um valor menor. Nós não esperávamos que ele enviasse um valor que achamos que é suficiente, valor de R$ 4 bilhões a R$ 4,5 bilhões", afirmou.



Últimas Notícias