Capital do Acre oferece diversas atrações aos turistas

28/12/2020


Cidade mais populosa do Acre, Rio Branco foi a sede de um dos ciclos mais importantes do país



Hoje é dia de festa... ou melhor, de “piseiro”, como se diz no Acre! Isso porque, a capital do estado, Rio Branco, celebra nesta segunda-feira (28.12) 138 anos de muita história, cultura e atrações turísticas para ninguém botar defeito. Originada às margens do rio Acre e ao lado do Peru e da Bolívia, a cidade possui uma combinação de crenças, costumes e folclore ímpar. Além disso, a capital acreana é conhecida por ser hospitaleira, iluminada e moderna, ou seja, um destino cheio de experiências nascidas na floresta e na história do seu povo.


Famosa por ser o centro da Floresta Amazônica, Rio Branco é rodeada por áreas verdes, como o Parque Ambiental Chico Mendes que já foi sede de um seringal antigo e hoje é dedicado ao lazer dos moradores, e o Parque da Maternidade, que traz a modernidade urbanística da cidade. Outro ponto dedicado ao verde na cidade é a Biblioteca da Floresta. A visitação inclui aula sobre as etnias indígenas da região Amazônica, sons da floresta e até uma reprodução fiel da casa de um seringueiro.


E falando em seringueiro, o turista pode visitar o Museu da Borracha, que reúne um acervo de mais de 5.300 peças de arqueologia, paleontologia, história, coleção de manuscrito e documentos referentes aos acontecimentos no estado. O local foi sede do Ciclo da Borracha, que ocorreu entre o século 19 e 20 e colocou o látex como atividades essenciais para a economia brasileira.


O Palácio Rio Branco e a Ponte Metálica são alguns dos cartões-postais do Acre. O primeiro abrigou a sede da Prefeitura Departamental do Alto Acre, em 1908. O governador Hugo Carneiro transformou o casarão no suntuoso palácio que ele é hoje. Já o segundo, construído em 1969, foi criado de forma que pudesse se elevar verticalmente, permitindo que grandes embarcações pudessem trafegar pelo Rio Acre.


O Mercado Municipal é local de encontro para o café da manhã de quem sai cedo para trabalhar. Além das comidas típicas, conhecer o “Mercado Novo” é viajar na diversidade acreana, conhecendo pessoas, diferenças e histórias.


Por fim, que tal dar uma passada no Calçadão da Gameleira? No local está situada uma grande bandeira do Acre que pode ser vista de vários pontos da cidade. As casas coloridas, de quando a cidade ainda era um seringal, embelezam o cenário e fazem um convite para uma bela caminhada pelo calçadão.


CULINÁRIA – É impossível passar por Rio Branco e não provar um pouco da comida da cidade. O Novo Mercado Velho, situado à beira do rio Acre, apresenta diversas opções aos turistas. Lá, você pode adquirir itens da cozinha e do artesanato nortista, além de experimentar pratos típicos, como o tacacá e o pirarucu de casaca. Além disso, há outros sabores como o tucupi, um caldo da raiz da mandioca, e o jambu, uma folha que adormece a língua.


A capital, também, tem como o carro-chefe o cupuaçu, fruto da Amazônia, utilizado em mousses, bombons, sorvetes e geleias. Este também não pode faltar na sua experiência.


Fonte: MTur

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

24 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale