Campanha de vacinação contra a gripe é ampliada para doentes crônicos

08/05/2022


As vacinas estarão disponíveis de segunda a sexta-feira, em 98 unidades de saúde



A Campanha de Vacinação contra a Gripe será ampliada na próxima semana com a convocação de um novo público: os doentes crônicos. Fazem parte deste grupo prioritário, segundo definição do Ministério da Saúde, aqueles com doenças respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas e neurológicas crônicas, além de pessoas com diabetes, obesas, imunossuprimidas, transplantadas ou que têm alguma trissomia.


O diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba, Alcides Oliveira, orienta sobre a importância da vacina contra a gripe para esses públicos, considerados vulneráveis.


“A campanha acontece anualmente devido as variantes do vírus da gripe, já vimos esse ano um surto de um uma nova cepa, a H3N2 Darwin. A nova vacina vem com essa proteção, por isso os grupos prioritários, que são os mais vulneráveis para complicações causadas pela gripe, devem se vacinar”, disse.


Onde ir e o que levar

As vacinas estarão disponíveis de segunda a sexta-feira, em 98 unidades de saúde, das 8h às 17h. A lista dos pontos pode ser verificada no site Imuniza Já, a partir de segunda-feira (9/5).


Para a vacinação, basta ir a um dos locais de atendimento e levar um documento com foto e CPF, além de comprovante de residência de Curitiba, caso ainda não seja cadastrado na unidade de saúde.


Pacientes da rede particular devem levar um comprovante que demonstre fazer parte do grupo de doentes crônicos. Pacientes com doenças crônicas que já são acompanhados pelo SUS Curitibano não precisam desta documentação extra.


No caso da vacinação infantil, é preciso apresentar também documento com foto e CPF do pai ou responsável, além do documento de identificação da criança.


A SMS lembra que em Curitiba continua obrigatório o uso máscaras em serviços de saúde. Portanto, para a vacinação, é obrigatório usá-la.


Outros públicos

Além das pessoas com doenças crônicas, as unidades vacinam também outros públicos já convocados: gestantes, puérperas (mães que tiveram filhos há até 45 dias), crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) e idosos com 60 anos completos ou mais.


Esses públicos fazem parte dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, que considera maior a vulnerabilidade dessas pessoas para complicações causadas pela gripe.


Crianças e idosos

No caso dos idosos, além da vacina da gripe, é oferecida também a quarta dose (segundo reforço) da vacina contra a covid. E no caso das crianças é oferecida a vacinação simultânea da Vacina Tríplice Viral (VTV), que protege contra caxumba, rubéola e sarampo.


A VTV será aplicada mesmo nas crianças que estiverem com a situação vacinal em dia, por orientação do Ministério da Saúde, depois de se verificar que o sarampo voltou a ter aumento de casos no país. Em Curitiba, não há registro da doença esse ano, mas com a circulação das pessoas para outras cidades, a doença pode chegar e se espalhar se não houver um grande movimento de vacinação.


No caso das crianças que já receberam ao menos uma dose da vacina influenza em anos anteriores, o esquema vacinal será com apenas uma dose contra a gripe. Já para as crianças que serão vacinadas pela primeira vez, a orientação é que a segunda dose seja aplicada 30 dias após a primeira.


Oliveira orienta sobre a importância de que pais ou responsáveis mantenham a situação vacinal das crianças em dia. “Estamos vendo, nos últimos dias, aumento de busca por atendimento a crianças com sintomas respiratórios, viroses e outras infecções bacterianas. Algumas dessas doenças podem ser prevenidas pelas vacinas, por isso é muito importante aderir à campanha”, disse.

Últimas Notícias