Câmara dos Deputados rejeita e arquiva PEC do voto impresso

11/08/2021


A impressão do voto depositado na urna eletrônica é defendida por Bolsonaro



A Câmara dos Deputados decidiu na noite dessa terça-feira, dia 10, rejeitar e arquivar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que propunha o voto impresso em eleições, plebiscitos e referendos.


Para ser aprovada, a PEC precisava de, no mínimo, 308 votos. No entanto, o texto elaborado pela deputada Bia Kicis (PSL-DF) teve o apoio de apenas 229 deputados. Outros 218 deputados votaram contra a PEC, e um parlamentar se absteve. Ao todo, 448 votos foram computados.


Os 64 ausentes — entre os quais vários parlamentares de legendas governistas — contribuíram para a derrota da proposta defendida por Bolsonaro.


Na condição de presidente da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL) é o único que não vota.


Com a decisão da Câmara, o texto será arquivado, e o formato atual de votação e apuração fica mantido nas eleições de 2022.


"Eu queria, mais uma vez, agradecer ao plenário desta Casa pelo comportamento democrático de um problema que é tratado por muitos com muita particularidade e com muita segurança. A democracia do plenário desta Casa deu uma resposta a esse assunto e, na Câmara, eu espero que esse assunto esteja definitivamente enterrado", disse Arthur Lira.


Foto: Câmara dos Deputados





Últimas Notícias