Armazéns e Sacolões da Família driblam alta de preços dos alimentos em Curitiba

10/06/2021


A capital paranaense conta com 34 Armazéns da Família, que oferecem 355 produtos, entre gêneros alimentícios e itens de higiene e limpeza



Curitiba apresenta a maior variação de preço da cesta básica de alimentos do Brasil em 2021: 12,68%, entre janeiro e maio deste ano, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socio Econômicos (Dieese).


O levantamento, divulgado esta semana, mostra que a despesa com itens como arroz parboilizado, feijão preto, batata, tomate, leite integral e óleo de soja está comprometendo ainda mais a renda dos curitibanos.


Mas as 311 mil famílias cadastradas nos Armazéns da Família e também toda a população da capital que pode comprar nos Sacolões da Família estão conseguindo economizar nestes espaços da Prefeitura que oferecem produtos com os preços, em média, 30% mais baratos que no varejo.


Diariamente, equipes do Clique Economia, serviço de comparação de preços da Prefeitura, percorrem supermercados de Curitiba monitorando os preços para garantir que os itens nos espaços da Prefeitura sejam mais baratos em média.


"Nos Armazéns da Família, que comercializam gêneros alimentícios, e nos Sacolões da Família, que ofertam frutas e verduras, os moradores da cidade encontram produtos de qualidade e com preços mais em conta que no varejo", destaca Luiz Gusi, secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, responsável pelo Clique Economia.


Rede


Curitiba conta com 34 Armazéns da Família, que oferecem 355 produtos, entre gêneros alimentícios e itens de higiene e limpeza. Podem fazer compras famílias com renda máxima de cinco salários mínimos, que residam na capital e sejam cadastradas no programa e famílias beneficiadas com ao auxílio alimentar de Curitiba.


Já os Sacolões da Família são abertos a toda a população e formam uma rede com 13 unidades que comercializam frutas e verduras ao preço máximo de R$ 2,49 o quilo.


Devido à pandemia, tanto os Armazéns como os Sacolões da Família seguem rígidas normas para evitar a propagação da covid-19, como limite de pessoas dentro das unidades, organização de filas externas com distanciamento, uso obrigatório de máscara e oferta de álcool em gel.


Foto: Lucilia Guimarães/SMCS


Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/jornale.curitiba/


Fale com o Jornale, acesse: https://www.jornale.com.br/contato

Últimas Notícias