Acordo entre DER/PR e Econorte garante serviços mesmo após fim do contrato

05/11/2021


Estarão disponíveis os serviços de guincho e ambulâncias



O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) entrou em um entendimento com a concessionária de pedágio Econorte para a operacionalização dos serviços de guincho mecânico e atendimento pré-hospitalar durante o intervalo entre o fim dos pedágios vigentes e o início do novo programa de concessões do governo federal. O assunto foi discutido em audiência pública realizada nesta sexta-feira (05) na Justiça Federal. A homologação do acordo deve ser feita nos próximos dias.


“Não haverá cobrança de pedágio com o fim dos contratos. Isto é definitivo, uma determinação do governador Ratinho Junior, e acordos com as concessionárias não alteram isso de qualquer maneira”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex.


“O que estamos buscando, e com avanços significativos, são soluções para garantir a realização de obras não concluídas ou sequer iniciadas e, como alternativa, a prestação do serviço ao usuário. São os guinchos que removem o carro com uma pane mecânica, ou que se envolveu em um acidente, e que garantem que o tráfego possa voltar ao normal o quanto antes. E ambulâncias, que ajudam a salvar vidas nas rodovias”, acrescenta.


As definições sobre as operacionalizações estão sendo finalizadas, e devem ser apresentadas nesta primeira quinzena de novembro. “Serviços importantes, para os quais estamos buscando soluções para continuidade mesmo após o término dos contratos de pedágios, sendo o acordo com a concessionária uma das opções. Há outras sendo trabalhadas, junto ao governo federal”, diz.


Com a decisão, a concessionária deixará de cobrar qualquer tarifa de pedágio aos usuários a partir de 28 de novembro, medida que vale para todas as concessionárias do Anel de Integração. Mas a Econorte continuará realizando, nas rodovias que antes administrava, os serviços de guincho mecânico, de ambulâncias para atendimento pré-hospitalar, mantendo o centro de controle de operações e telefone para emergências 0800, e realizando a guarda patrimonial dos bens móveis e imóveis que serão revertidos para o Estado. A medida terá validade por 365 dias, devendo atender a todo o intervalo entre concessões.


Em troca, a Econorte deixará de executar um viaduto em Jacarezinho. “A obra do viaduto no trevo da Rodovia Transbrasiliana com a Rua Fernando Botareli, em Jacarezinho, sequer começou. E se trata de um projeto antigo, que não contempla a futura duplicação da rodovia, já prevista no novo programa de concessões”, explica o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti. “Mesmo que a obra tivesse início imediatamente, ela precisaria ser parcialmente demolida já nos primeiros anos da nova concessão, para dar espaço à duplicação da rodovia”.


“Com este acordo, garantimos o atendimento ininterrupto ao usuário, uma demanda de grande urgência, e no próximo contrato teremos a execução da duplicação da rodovia e de um viaduto mais moderno, que atenda às necessidades dos moradores e usuários, com projeto adequado a essa realidade”, diz. A obra de arte especial estava estimada em R$ 14 milhões.

Últimas Notícias