STF julga recurso sobre interferência na PF nesta quinta

Ministro decidem se depoimento do presidente será presencial



O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, marcou para quinta-feira (8) o julgamento do recurso no qual a Advocacia-Geral da União (AGU) pede para que seja concedido ao presidente Jair Bolsonaro o direito de prestar depoimento por escrito no inquérito sobre a suposta interferência política na Polícia Federal (PF) . O presidente marcou o julgamento após o relator do caso, ministro Celso de Mello, liberar o recurso para análise do plenário.


No mês passado, Celso de Mello determinou que Bolsonaro preste depoimento presencial. Ele disse que a prerrogativa de prestar o depoimento por escrito somente pode ser concedida nos casos em que o presidente da República figure como testemunha ou vítima, mas não na condição de investigado. Em maio, o depoimento de Moro foi presencial.

Últimas Notícias