Juíza da Suprema Corte dos EUA Ruth Ginsburg morre aos 87 anos

Sua morte pode alterar dramaticamente o equilíbrio ideológico do tribunal


Foto: Carlos Barria

A juíza Ruth Bader Ginsburg, uma valente liberal na Suprema Corte dos Estados Unidos desde 1993, morreu nesta sexta-feira (18) aos 87 anos, disse a corte, dando ao presidente Donald Trump a chance de expandir sua maioria conservadora com uma terceira nomeação em uma época de profundas divisões no país, com uma eleição presidencial se aproximando.


Ginsburg, uma defensora dos direitos das mulheres que se tornou um ícone para os liberais norte-americanos, morreu em sua casa em Washington de complicações de um câncer no pâncreas, disse a corte em um comunicado, que acrescentou que ela estava cercada por sua família.


Sua morte pode alterar dramaticamente o equilíbrio ideológico do tribunal, que atualmente tem uma maioria de cinco conservadores contra quatro liberais, movendo-o ainda mais para a direita.


"Nossa nação perdeu uma jurista de estatura histórica", disse o presidente da corte, John Roberts, em um comunicado. "Nós na Suprema Corte perdemos uma colega querida. Hoje lamentamos, mas com a confiança de que as gerações futuras se lembrarão de Ruth Bader Ginsburg como a conhecemos - uma incansável e resoluta defensora da justiça."


Fonte: Agência Brasil

20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest