banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

A valorização da memória na decoração afetiva

Com a decoração afetiva é possível focar no que realmente importa, a "história", tudo na vida vem carregado dela e a decoração do lar não deve ser diferente



O mundo da decoração está sempre se reinventando e com momentos tão sérios como este da pandemia é importante valorizar gestos simples, lembranças boas e a família. Com a decoração afetiva é possível focar no que realmente importa, a "história", tudo na vida vem carregado dela e a decoração do lar não deve ser diferente. Uma casa confortável precisa acolher e nada mais recompensador que poder fazer parte disto incluindo vivência pessoal para alcançar esse propósito. Móveis, cores, objetos de decoração, iluminação, disposição dos adornos, absolutamente tudo pode ser usado para remeter o afeto.


Criadora da loja de objetos decorativos, a Cerrado Chic, a jornalista Cláudia Mohn explica como é importante manter o laço com as memórias e assim obter uma casa mais afetuosa. "Gosto de comparar essa decoração com a experiência de uma criança visitando a casa dos parentes. Ela não repara na decoração em si, mas nos cheiros, nas cores e nas sensações que aquele lar traz para ela. É isso que levamos ao longo da nossa vida e é o que temos que buscar ao chegar em casa, um local que guarda tudo aquilo que te representa enquanto ser humano".


Pode-se começar pelas paixões do morador e obter uma curadoria de tudo que possa ser utilizado, este é o passo inicial para saber o que se tem em casa. Pensar em como esses objetos conversam entre si vai ajudar com a composição dos mesmos. Os estilos trazem o perfil de quem decora, é necessário focar nos gostos individuais e ficará mais fácil seguir com uma linha de pensamento objetiva.


Coleções também funcionam na decoração, podem ser livros, miniaturas, obras de arte, as possibilidades são infinitas. O uso de cores que combinem entre si é importante para que a harmonia seja mantida e o resultado visual seja impactante.


A arquiteta Gabriela de Rossi ressalta que quem não está seguro das melhores escolhas, combinações ou sequer sabe em qual estilo se encaixa, a adoção de um profissional é muito bem-vinda. "Para uma ambientação bem-sucedida é importante que a pessoa saiba do que gosta e como combinar seus objetos de estima pessoal com novos adornos adquiridos recentemente, um profissional qualificado pode auxiliar na seleção e aplicação prática da decoração", afirma.


Memórias felizes e tudo que traga sensações positivas agregam valor na decoração afetiva. Resgatar boas recordações é uma oportunidade de reviver sempre as melhores fases da vida e acreditar que as coisas podem ser mais positivas amanhã.

5 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest