Líderes partidários defendem mais três parcelas do auxílio

Bolsonaro define nesta semana valores e número de parcelas



O presidente Jair Bolsonaro deve definir até sexta-feira (21) por qual valor irá prorrogar o benefício emergencial, atualmente em R$ 600, e quantas parcelas adicionais. A equipe econômica insiste em um valor menor, o que vai exigir um acordo com o Congresso. Já os lideres dos partidos defendem mais uma parcela de R$ 600 e duas de R$ 300. Um técnico envolvido nas discussões afirmou que os valores ainda não estão definidos, “mas será abaixo de 600 e passará pelo Congresso”.


A ideia seria prorrogar o benefício no valor de R$ 200 ou R$ 300 até o fim do ano a fim de construir uma transição para o Renda Brasil, que vai substituir o Bolsa Família. O auxílio emergencial de R$ 600 foi criado por lei de iniciativa do Congresso em abril para ajudar trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais, desempregados e famílias que recebem o Bolsa Família a atravessarem a crise na economia causada pela pandemia do Coronavírus.


Inicialmente, o benefício seria pago por três meses, mas diante das incertezas, o governo prorrogou o auxílio por mais dois meses. A última parcela será paga em agosto.

Últimas Notícias