5 dicas para promover o aprendizado em casa

Escola e família se completam na educação: saiba como aproveitar isso ao máximo



Com a experiência que as famílias brasileiras estão tendo de acompanhar as aulas virtuais dos filhos durante a pandemia, surge a oportunidade de desfazer um engano, infelizmente recorrente: o de que lugar de aprender é só na escola. Uma pesquisa do Instituto Avisalá revelou que 85% das pessoas acreditam que a educação diz respeito prioritariamente à instituição de ensino.


“Socialmente, é ainda muito comum fazer essa associação, mas a quarentena trouxe aos pais a oportunidade de ver seus filhos aprendendo, participar ativamente de suas descobertas e rever esse conceito”, avalia a diretora do Peixinho Dourado Berçário e Educação Infantil, Marianna Canova.


Apesar de a dinâmica da educação a distância ser desgastante para alguns pais, há famílias em que o acompanhamento do ensino tem sido muito gratificante. Em geral, as escolas que sempre trabalharam em parceria com as famílias encontraram menos resistência neste momento.


É o caso do Peixinho Dourado, onde toda semana ocorrem cafés virtuais, durante o distanciamento social, na forma de lives e reuniões. São oportunidades para tirar as inúmeras dúvidas que todo pai e mãe tem, e compartilhar experiências que dão certo.


Quer saber como desfrutar das descobertas do seu filho e estimular o aprendizado? Veja essas dicas da pedagoga Marianna Canova:


1.VALORIZE O APRENDIZADO


Criar uma cultura familiar de que aprender é importante é o melhor presente que você pode dar ao seu filho. Despertar o amor pelo aprendizado irá abrir caminhos para ele, não só na vida escolar, mas também para toda a vida.


2. SONS VÊM ANTES DA ESCRITA


Uma das grandes preocupações das famílias é com a alfabetização. Mas você sabia que hoje as escolas pensam esse processo ao longo dos três primeiros anos do Ensino Fundamental? Nem todo mundo aprende ao mesmo tempo, então relaxe: brincar com a leitura e a escrita sem fazer correções é a melhor dica para ajudar seu filho.


Outro ponto importante é a consciência fonológica, ou seja, que a criança perceba os sons ao seu redor (fonemas), para aos poucos associá-los às sílabas. Rimas, trava línguas, poemas são excelentes oportunidades para brincar com o som das palavras.


“Diga: ‘filho, como será que se escreve CANELA’? Ajude-o a pensar nos sons! Se a criança transformar CANELA em K - E - A, ou seja, com um som por sílaba, ótimo! Se só disse que começa com K, bom também… essa construção é gradativa, passando por diversas fases, como a pré-silábica, a silábica, silábica-alfabética e alfabética, mas ela precisa do estímulo social e de uma ambiente positivo”, recomenda a pedagoga.


3. APROVEITE TODA CURIOSIDADE E FAÇA PESQUISAS


Valorize as perguntas do seu filho: elas são preciosas. Seu pequeno gostou de uma formiga do jardim? Que tal ver vídeos sobre esse inseto, escolher uma foto e redesenhar? Se tiver interesse, a tentativa da escrita também é válida. “Aqui em casa o estegossauro foi o escolhido! Sabia que ele era o dinossauro mais feroz? A gente também aprende!”, brinca Marianna.


Outra excelente oportunidade vem da cozinha. “3 xícaras de farinha, 2 ovos, 1 xícara de açúcar…” Que tal desenhar os ingredientes?


4. MATEMÁTICA


Já reparou que os números estão em tudo? E é possível potencializar esse pensamento usando brincadeiras. Uma simples tarefa como arrumar a mesa pode se transformar em ferramenta de ensino. Jogos como bingo com letras ou números, lince, memória, dominó são excelentes para esse estímulo. Mas é importante que sejam coerentes com a faixa etária.


5. CANTINHO DO APRENDIZADO


A criança precisa ter tempo para lidar com as ideias e as coisas. Para os menores, vale um direcionamento maior, e dispor de forma estética alguns gravetos, por exemplo, ou materiais ricos como fubá e areia, para permitir a descoberta e experimentação. Os maiores podem ter um espaço físico dedicado a esse vínculo formal, com materiais como folha, tesoura e canetinha à disposição. Mas não é recomendado apressar o tempo das experiências.


Com essas dicas e o direcionamento que o coração de pai e mãe sabe dar, certamente seu filho irá entender que aprender é bom. Procure não cobrar resultados, e sim proporcionar um ambiente de estímulo constante.

Sobre a escola: O Peixinho Dourado Berçário e Educação Infantil já formou muitas gerações. Desde 1980 instalado no Alto da XV, em Curitiba, acolhe crianças de 4 meses a 6 anos, com uma proposta pedagógica diferente. Por acreditar que todo mundo nasce um pequeno cientista curioso, investe em projetos que partem das próprias crianças, incentivando a descoberta com o uso de diferentes temas e materiais. Sobretudo, traz o cuidado com cada aluno de maneira completa, desde uma alimentação bem saudável até os aspectos cognitivo, social, emocional e funcional.


Box Live do Peixinho Dourado destaca aprendizado em casa Para enfatizar a importância do incentivo familiar na educação, o Peixinho Dourado Berçário e Educação Infantil promove dia 25 de agosto, às 19h, uma live gratuita sobre “A casa confirmada como espaço de aprendizagem”.

A convidada especial é a psicóloga Isabel Parolin, que soma décadas de experiência no aconselhamento de crianças e pais nas questões relacionadas à infância e educação. “Sempre procuramos fontes de informação entre profissionais que enxergam o ensino como espaço também afetivo, não apenas técnico”, explica a diretora Marianna Canova.

Para acessar, basta visitar o canal da escola no YouTube:

https://www.youtube.com/channel/UCE_hbEaCdJzDEss_QFDRyHw

Últimas Notícias