Rússia anuncia produção da vacina Sputnik

País registrou a imunização mesmo sem finalizar os testes



O ministro da Saúde da Rússia informou neste sábado (15) que o país já iniciou a produção do primeiro lote da vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2). A imunização causou polêmica ao ser a primeira registrada no mundo, mesmo sem ter concluído todas as fases de teste.


"A produção da vacina contra o novo coronavírus - Covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, começou", disse o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, em nota oficial divulgada para as agências Tass e Interfax.


O registro da vacina batizada de Sputnik V ocorreu no dia 11 de agosto, mas foi recebido com cautela por cientistas em todo o mundo e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por conta da falta de transparência dos dados.


Até agora, pouco se sabe dos resultados de maneira científica, apenas o que o governo russo divulgou através de sua comunicação oficial. Segundo as autoridades, a imunização não apresentou efeitos colaterais graves e gerou anticorpos.


Além do Centro Gamaleya, a vacina foi desenvolvida em parceria com o Ministério da Saúde e Ministério da Defesa e será produzida e distribuída pelas empresas Generium, R-Pharm e Binnopharm a partir de outubro - sempre conforme as informações oficiais.

28 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest