banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Casos de Covid crescem 164,5% entre junho e julho no Paraná

Em números absolutos, a regional de Curitiba e Região Metropolitana é a que concentra mais casos.

O Paraná registrou 44.587 casos de Covid-19 nas quatro semanas epidemiológicas de julho, crescimento de 164,5% em relação aos 16.855 casos notificados no mesmo período de junho, segundo boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde neste domingo (26). A análise leva em consideração a data de diagnóstico, não a data de divulgação, e as semanas epidemiológicas 23 (que engloba o último dia de maio) a 30 (até 25 de julho).


Nesse recorte, o aumento de casos foi mais expressivo nas macrorregionais Leste (Curitiba/Região Metropolitana/Litoral/Campos Gerais), de 292,2%, e Norte (Londrina/Apucarana/Jacarezinho), de 133%. No primeiro caso a diferença foi de 18.991 casos a mais (de 6.499 nas quatro semanas epidemiológicas de junho para 25.490 casos em julho); no segundo, de 3.127 (de 2.351 casos para 5.478).


A macrorregional Noroeste (Maringá/Umuarama/Paranavaí) registrou crescimento de 92,3%, ou 2.405 casos, diferença de 2.604 positivados em junho para 5.009 em julho. A macro Oeste (Cascavel/Foz do Iguaçu/Francisco Beltrão e Pato Branco) também apresentou aumento de casos, mas em índice menor, de 39,3%, ou 729 casos (1.857 para 2.586).


Também houve aumento de 115,4% nos óbitos nesse mesmo recorte, de 460 (junho) para 991 (julho).


De acordo com a data de diagnóstico, julho já concentra 62,3% do total de casos (41.446 de 66.509) e 54,9% do número global de óbitos (906 de 1.650) no Paraná. Mesmo diante desse aumento expressivo nos últimos dias, o Estado ainda tem o terceiro menor índice do País em casos por 100 mil habitantes (587,9) e a quinta menor taxa de óbitos pela mesma faixa populacional (14,6).


O recorte semanal mais aproximado mostra uma realidade um pouco diferente. Segundo a Secretaria de Saúde, o número de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus cresceu 5% na última semana epidemiológica (19 a 25 de julho). Foram 12.148 novos casos, contra 11.578 da semana 29 (12 a 18 de julho), diferença de 570 casos a mais. A Covid-19 avança no Paraná pela 10ª semana consecutiva, desde a semana 20 (10 a 16 de maio).


Regionalmente, houve crescimento de casos no Oeste, na faixa de 40%, e no Norte, na casa de 1,3%. Houve pequenas retrações no Leste, de 1,7%, e no Noroeste, de 5%.


No Oeste foram 2.586 casos na semana 30, contra 1.857 da semana 29. É a segunda semana seguida com crescimento, mas depois de uma queda expressiva registrada na semana 28, principalmente em decorrência do decreto estadual que impôs medidas mais restritivas de circulação. No Norte é o 13° registro de crescimento consecutivo, desde a semana 18. Foram 1.611 casos na semana 30 contra 1.591 na semana 29.


Na macrorregião Leste é a terceira vez que o número de casos ultrapassa 6 mil em uma semana, com diferença de 115 caos a menos para a semana 29. O Noroeste segue como a região menos impactada pela doença de modo geral. Foram 1.211 casos na semana 30, segunda queda consecutiva.


O número de óbitos também caiu entre uma semana epidemiológica e outra, na casa de 8,2%, dentro da mesma regra de data do diagnóstico. As mortes cresceram no Paraná entre as semanas epidemiológicas 23 (31 de maio a 06 de junho) e 28 (05 de julho a 11 de julho), e caíram nas duas últimas.


Na média móvel por data do caso/óbito, calculada a partir de um comparativo com os números de 14 dias atrás, houve crescimento de 14,2% no índice de novos diagnósticos e diminuição de 9,2% no cálculo de mortes no Paraná.


Apenas oito cidades paranaenses ainda não registraram a presença do coronavírus: Boa Ventura de São Roque, Bom Sucesso do Sul, Flor da Serra do Sul, São Carlos do Ivaí, São Pedro do Paraná, Rio Bom, Nova Santa Bárbara e Godoy Moreira. Elas reúnem 33.943 habitantes, 0,2% da população do Estado.


Já há casos do novo coronavírus em todos os municípios das regionais de Saúde de Paranaguá, Curitiba e Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, União da Vitória, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Maringá, Londrina, Jacarezinho, Toledo e Telêmaco Borba.


Em números absolutos, a regional de Curitiba e Região Metropolitana é a que concentra mais casos (26.950), seguida por Cascavel (5.970), Londrina (4.531) e Maringá (3.993). Já há mais de 1.000 casos em 13 das 22 regionais de Saúde.


As mortes alcançaram 218 municípios, mais de 54% do Paraná. As maiores incidências absolutas são em Curitiba e Região Metropolitana (804), Londrina (161), Cascavel (116) e Maringá e Paranaguá (66).


A faixa etária média dos casos no Paraná é de 40,2 anos, idade da população economicamente ativa, enquanto a de óbitos é de 68,3 anos, o que indica que as complicações da doença se concentram entre as pessoas mais idosas. A Covid-19 impacta mais a população feminina (52%), mas mata mais os homens (61%).


São 15.218 casos entre pessoas com 30 a 39 anos, parcela mais afetada pela doença, o que representa 23,2% do total de infectados no Estado. A segunda é a de pessoas entre 20 e 29 anos, com 13.633 casos, ou 20,8% dos infectados. São, ainda, 5.971 casos entre crianças e jovens de 0 a 19 anos (9,1% do total) e 9.274 casos entre quem tem mais de 60 anos, 14,1%.


Em relação aos óbitos, a análise do quadro mostra que a Covid-19 vitima mais mulheres conforme o aumento da idade. A faixa mais atingida é a de mais de 80 anos (197 óbitos), seguida por 70 a 79 anos (172), 60 a 69 (120) e 50 a 59 (83). Entre os homens há diferença. A faixa mais vitimada foi entre 70 a 79 (264 mortes), seguida por 60 a 69 (238) e mais de 80 (231).


Segundo o boletim epidemiológico, ainda há 1.050 internados, 1,6% do total de infectados no Paraná. Desses, 466 estão em uma das 1.027 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) criadas pelo Governo do Estado desde o começo da pandemia e 584 em enfermarias exclusivas para a Covid-19.


As taxas de ocupação nos leitos exclusivos são de 77% em UTIs adultas, 31% em UTIs pediátricas, 51% em enfermarias para adultos e 24% em enfermarias infantis.


No entanto, somados confirmados e suspeitos internados na rede pública e privada de Covid-19 em todo o Estado são 2.172 internados em leitos clínicos (1.183) e avançados (989).


Cerca de 67% dos casos hospitalizados desde o começo da pandemia apresentavam comorbidades. As mais comuns até agora foram cardiopatia (1.837), diabetes (1.252), pneumopatia (289), doença renal crônica (271) e obesidade (267).


O Paraná tem 79 casos confirmados nas comunidades indígenas, além de 229 suspeitos e 197 casos descartados. Entre a população privada de liberdade são 347 casos confirmados e 406 suspeitos.


No recorte de profissionais de saúde, são 3.621 infectados desde o começo da pandemia, com prevalência de casos entre enfermeiros e técnicos de enfermagem (1.766), médicos (387), farmacêuticos (109) e dentistas e ortodontistas (94).


O Paraná voltou a ultrapassar a marca de 50% de isolamento social neste domingo (26), com índice de 51,7%, o que não acontecia desde o segundo final de semana de julho. Ainda assim foi a menor resultado entre os estados do Sul. O mapeamento é feito pela empresa In Loco a partir de dados de dispositivos móveis.


Durante a última semana a média circundou 37% e no dia 17, pouco após o fim da vigência do decreto de quarentena restritiva em sete regionais de Saúde, atingiu o menor índice desde o primeiro decreto, publicado em março, com 34%. A média durante o mês foi de 40,4%.


O maior resultado foi alcançado em 22 de março, com 65,6% de isolamento social.

23 de novembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest