Guarda confessa ser autor de incêndio na Catedral de Nantes

Homem confessou o crime. Vitrais e órgão foram destruídos



Um homem de 39 anos que trabalhava como guarda voluntário da Catedral de São Pedro e São Paulo em Nantes, na França, confessou ter sido o autor do incêndio que atingiu o local, informou neste domingo (26) o jornal "Le Monde".


O promotor Pierre Sennès afirmou ao jornal que homem admitiu o crime em um depoimento no sábado (25) depois de ter negado a participação no primeiro depoimento.


O advogado Quentin Chabert disse ao "Le Monde" que seu cliente – um refugiado ruandês que não teve a identidade revelada – se arrependeu e que está colaborando com as investigações.


O incêndio aconteceu no dia 18 e foi rapidamente controlado. Ninguém ficou ferido. Vitrais do século XVI e o órgão foram destruídos. Uma fumaça preta foi vista saindo entre as suas torres, mas não chegou a atingir o telhado da construção que tem estilo gótico.


O padre François Renaud, que é o administrador diocesano, que chegou a entrar com os bombeiros na catedral depois do incêndio afirmou que a destruição não se assemelha à da Notre Dame de Paris, que foi consumida pelas chamas em abril de 2019, mas que a perda do órgão é "inestimável".


Essa não é a primeira vez que a Catedral de Nantes é atingida por um incêndio. Em 1972, o telhado da igreja, construída entre os séculos XV e XIX, ficou destruído. Os trabalhos de reparação duraram 13 anos.

27 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest