Obras avançam e Terminal Tatuquara toma forma

Com área de 3,4 mil metros quadrados, fará a descentralização do transporte no extremo sul de Curitiba.

Até o final deste ano, a comunidade que reside na Regional Tatuquara, composta pelos bairros Tatuquara, Campo Santana e Caximba, vai contar com um moderno terminal de ônibus para se deslocar.


O Terminal Tatuquara será o 24.º a fazer parte da Rede Integrada de Transporte de Curitiba. O custo da obra é de R$ 8,2 milhões.


De acordo com Soelio Antônio Vendramin, do Departamento de Edificações da Secretaria Municipal de Obras Públicas, atualmente as equipes estão fazendo a pavimentação do arruamento do terminal e o fechamento das laterais com chapa metálica.


As estruturas metálicas da cobertura já estão fixadas, aguardando a colocação de telhas e já começaram os acabamentos das áreas de alvenaria que formam a estrutura de apoio ao usuário. Também está em execução a calçada em petit pavê da Rua João Goulart, por onde será feita a entrada do terminal.


Encurtando distâncias


“Em breve o povo do Tatuquara não terá mais que ir ao Pinheirinho, daqui já dará para ir direto para a Linha Verde e aí para o Centro de Curitiba", comemorou o prefeito Rafael Greca.


O prefeito enalteceu o fato de que o terminal vai melhorar a qualidade de vida do povo da região, pois irá encurtar trajetos, trazendo economia substancial de tempo para os passageiros de ônibus.


Comércio fortalecido


Para o administrador regional Marcelo Ferraz, a materialização desta obra fortalecerá todo o comércio da região, garantindo serviços e comodidade.


“Quem mora ou trabalha na nossa região terá muito mais qualidade de vida, já que o terminal vai aproximar as pessoas do Centro de Curitiba, dos bairros e cidades vizinhas”, disse o administrador.


Terminais desafogados


A líder comunitária Cléia Farias acredita que a entrada em operação do novo terminal vai facilitar a vida não só da comunidade do Tatuquara como também para região metropolitana. Ela vive há 20 anos no Moradias Monteiro Lobato.


“As pessoas vão chegar mais rápido ao trabalho, mas não é só isso: vai melhorar a vida de outros usuários do sistema. O funcionamento do novo terminal vai desafogar os terminais do Pinheirinho e da CIC”, prevê Cléia.


Região fica mais urbanizada


Outro aspecto importante é que, além de solucionar a questão da mobilidade, o terminal faz parte de um conjunto de melhoria da urbanização do Tatuquara. Ao lado do terminal, a Prefeitura construiu a Praça Vovô Vitorino, um complexo de esporte e lazer composto de quadras de futebol, vôlei e basquete e parquinho, que poderá ser utilizado após a pandemia pela covid-19.


Para facilitar e proteger esportistas, crianças e demais frequentadores, o local é cercado por alambrados de cinco metros de altura. A praça também foi bem iluminada para permitir seu uso durante a noite.


Conforto ao usuário


O terminal contará com vários espaços de apoio aos passageiros. Ele será equipado com bicicletário para 108 vagas, vestiários e lanchonetes.


Com área de 3,4 mil metros quadrados, fará a descentralização do transporte no extremo sul de Curitiba.


Dez linhas alimentadoras


Pelo novo terminal passarão dez linhas alimentadoras, entre elas Rio Bonito, Dalagassa, Pompeia, Janaína, Santa Rita, Rurbana e Tatuquara, que hoje fazem a integração no Pinheirinho. A estrutura também receberá linhas troncais para futura integração com estações estratégicas da Linha Verde - para a ligação direta ao Centro e integração metropolitana.


Fonte: Prefeitura de Curitiba

29 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest